PROVOCAÇÃO

Sindicato: Sem Eunício em Brasília, chance de greve acabar hoje cai para 5%

A colocação sobre a greve é do presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam)

Kléber Barreto
Kléber Barreto
Publicado em 24/05/2018 às 12:44
Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
A colocação sobre a greve é do presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) - FOTO: Foto: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

A notícia de que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), deixou a capital federal na manhã desta quinta-feira, 24, para uma agenda no Ceará desagradou fortemente um dos líderes dos caminhoneiros.

O presidente da Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, disse que, sem a presença do presidente do Senado para tentar aprovar a redução dos impostos sobre o diesel, a chance de o movimento terminar nesta quinta-feira cai de até 90% para 5%.

Ao ser informado pelo Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) de que Eunício Oliveira deixaria a capital federal, o líder dos caminhoneiros demonstrou surpresa e contrariedade.

"Se o presidente do Senado viajou para o Ceará, é porque quer ver o circo pegar fogo (greve). Ele também será responsabilizado", disse "A informação sobre a viagem de Eunício me deixou preocupado porque pode gerar caos nesse País", acrescentou Lopes.

"Fiquei com um sentimento de revolta. Nas entrevistas, apareceram os presidentes da Câmara e do Senado bonitinhos em frente às câmeras para dizer que vamos resolver isso. Agora, um agiu (para aprovar) e outro já na casa dele tomando uisquinho com água de coco, não é por aí. E a gente aqui comendo o pão que o diabo amassou", disse. "Se for isso aí, a coisa não vai ficar boa", completou.

Texto não chegou ao Senado

A votação do projeto de Lei 8456/17, que acaba com a desoneração da folha de pagamento para a maioria dos setores beneficiados não deve ter no Senado a mesma pressa que teve na Câmara. A aprovação da matéria é importante para tentar encerrar a greve dos caminhoneiros, uma vez que o substitutivo do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) também isenta o óleo diesel das alíquotas do PIS e da Cofins até 31 de dezembro de 2018.

Além da resistência do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), em votar propostas que vêm da Câmara a toque de caixa, o texto chegará ao Senado no momento em que quatro medidas provisórias trancam a pauta da Casa. De acordo com o regimento interno, mesmo se tramitar em regime de urgência, a matéria só poderá ser discutida e votada no plenário depois que essas MPs forem apreciadas. Outro problema é o feriado de Corpus Christi na semana que vem (31), que tradicionalmente deixa a Casa com quórum esvaziado.

Até o fechamento dessa reportagem a Secretaria-Geral da Mesa do Senado ainda não havia recebido o texto aprovado ontem (23) pelos deputados.

Bloqueios em Pernambuco

Pelo quarto dia consecutivo, caminhoneiros protestam no estado. Confira os pontos interditados:

BR 316, km 80, Ouricuri

BR 316, km 143, Parnamirim

BR 423, km 97, Garanhuns

BR 428, km 142, Petrolina

BR 101, km 83, Jaboatão dos Guararapes

BR 316, km 303, Floresta

BR 232, km 130, Caruaru

BR 408, km 83, Paudalho

BR 232, km 177, Belo Jardim

BR 232, km 16, Jaboatão dos Guararapes

BR 232, km 207, Pesqueira

BR 428, km 38, Cabrobó

BR 424, km 69, Caetés

BR 104, km 71, Caruaru

BR 104, km 74, Caruaru

BR 423, km 146, Iati

BR 232, Km 104, Bezerros

BR 407, km 80, Petrolina

BR 232, km 409, Serra Talhada

BR 101, km 160, Gameleira

BR 232, km 9, Curado

BR 316, km 25, Araripina

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias