Novo governo

Presidente do BC evita dizer se permanece no cargo no próximo governo

Goldfajn afirmou que seria a coisa mais natural do mundo se o governo aprovasse um projeto que prevê a independência do banco; Guedes defende essa ideia

Marina Costa
Marina Costa
Publicado em 07/11/2018 às 10:23
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Goldfajn afirmou que seria a coisa mais natural do mundo se o governo aprovasse um projeto que prevê a independência do banco; Guedes defende essa ideia - FOTO: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, evitou hoje (7) dizer se permanecerá no cargo no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. O economista Paulo Guedes, indicado para o Ministério da Fazenda do novo governo, defende a permanência de Goldfajn.

Ao deixar auditório do BC onde é realizado o IV Fórum de Cidadania Financeira, em Brasília, Goldfajn foi perguntado por jornalistas se ficará no cargo, a partir do próximo ano. “Sem comentários”, respondeu.

Independência do BC

Goldfajn ocupa a presidência do Banco Central há dois anos, e Guedes disse, no último dia 30, que seria "a coisa mais natural do mundo" que o governo aprovasse o projeto que prevê a independência do BC com o apoio do atual presidente da instituição e que ele permanecesse no cargo.

Guedes defende a proposta de independência do Banco Central, com mandato de presidente não coincidente com o do presidente da República.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias