IPO

Moura Dubeux estreia na Bolsa com desafio de convencer investidores

Após realizar IPO nesta quinta-feira (13), a incorporadora pernambucana apresentou queda na comercialização de ações

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 13/02/2020 às 14:30
Notícia
Foto: Divulgação
Após realizar IPO nesta quinta-feira (13), a incorporadora pernambucana apresentou queda na comercialização de ações - FOTO: Foto: Divulgação
Leitura:

Estreando no segmento Novo Mercado, sob o ticker MDNE3, a incorporadora pernambucana Moura Dubeux, registrou queda na comercialização de suas ações. Até o fim da manhã, as ações que haviam sido precificadas a R$ 19, amargavam uma queda de 5,2%, figurando na casa dos R$ 18. Segundo analistas, o grau de endividamento da MD é o principal entrave à atração dos investidores, que demandam agora um alto grau de performance da empresa para garantir o retorno das aplicações. 

Movimentando o equivalente a R$ 1,25 bilhão com sua oferta inicial de ações, a Moura destinará os recursos líquidos (após o pagamento dos coordenadores e das demais taxas) integralmente para o caixa da companhia, visto que a oferta é estritamente primária.

Os recursos terão a seguinte destinação de 90% para pagamento de dívidas e 10% reforço de caixa. De acordo com a consultoria Levante, o preço da oferta veio acima do esperado e, mesmo que o preço inicial indicasse o apetite dos investidores, a precificação veio acima do esperado. 

"A relação dívida líquida sobre patrimônio líquido da companhia é alta (9x) e ela (MD) amarga prejuízos há pelo menos quatro anos. Mesmo com o destaque na região onde atua (Nordeste), acreditamos que ela terá dificuldades em gerar retorno para o acionista no longo prazo. A relação risco e retorno não é convincente", explicou a Levante. 

De acordo com o presidente da B3, Gilson Finkelsztain, de todo modo, a oferta da Moura Dubeux mostra a força desse segmento no mercado de capitais. "Nos últimos 12 meses a B3 foi palco de 10 ofertas subsequentes do setor de construção que movimentaram R$ 6,8 bilhões, com uma participação expressiva de investidores pessoas físicas", afirmou. 

 Quase todos os recursos levantados pela MD serão destinados à quitação das dívidas da empresa com Banco do Brasil, Bradesco e Caixa. Curiosamente, as três instituições financeiras foram coordenadoras na oferta das ações. Em seu discurso, Diego Villar, da Moura Dubeux, disse que a história da empresa é de resiliência. “Essa conquista mostra o DNA de superação do povo nordestino”, declarou o executivo.

Novo Mercado 

Com a realização de seu IPO, a Moura Dubeux passa a ser a 142ª empresa listada no Novo Mercado, segmento que exige a adoção das mais elevadas práticas de governança corporativa, transparência e acesso às informações pelos investidores.
Acesse aqui para conferir as estatísticas e histórico de Ofertas Públicas e IPOs.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias