Bolsas

Wall Street fecha em forte queda em dia de pânico nos mercados

Investidores estiveram temerosos em relação ao crescimento econômico mundial e à recuperação americana

Rafael Carvalheira
Rafael Carvalheira
Publicado em 04/08/2011 às 18:52
Leitura:

NOVA IORQUE - A bolsa de Nova Iorque fechou em forte queda nesta quinta-feira (4) num dia de baixas acentuadas em todos os principais índices do globo, com investidores temerosos em relação ao crescimento econômico mundial e à recuperação americana.

O Dow Jones perdeu 4,31% - retornando aos patamares de dezembro - e o termômetro da tecnologia, Nasdaq, recuou 5,08%. Segundo cifras definitivas, o Dow Jones Industrial Average perdeu 512,76 pontos e fechou o dia a 11.383,45. Já o Nasdaq sofreu queda de 136,68 pontos, a 2.556,39 no encerramento.

O índice ampliado Standard & Poor's 500 caiu 4,78% (60,27 unidades), a 1.200,07 pontos. "Assistimos à erosão e em seguida ao desaparecimento da confiança dos investidores. Confiança na economia, confiança no mercado, confiança nos dirigentes políticos", disse Hugh Johnson, da Hugh Johnson Advisors.

Em poucos dias, desde o fechamento do dia 21 de julho, o índice Dow Jones perdeu cerca de 1.300 pontos e voltou a situar-se em seu nível de fechamento do dia 9 de dezembro, após sua pior sessão desde 2009.

O mercado reagiu a "tudo o que acontece na Europa, aos indicadores econômicos ruins nos Estados Unidos e simplesmente ao temor de que a economia se dirija a uma nova recessão. O mercado refletiu tudo isso nos preços", disse Peter Cardillo, de Rockwell Global Capital.

Wall Street deu sequência hoje aos recuos na Europa, onde as bolsas chegaram a cair mais de 3%. O mercado de matérias-primas também cambaleou e o preço do barril de petróleo caiu quase 6% em Nova York.

Segundo os analistas de mercado, os investidores temem que a crise da dívida se estenda às grandes economias da Zona Euro, como Itália e Espanha. Para os economistas, a intervenção nesta quinta-feira do Banco Central Europeu e de seu presidente, Jean-Claude Trichet, não convenceu.

Esses temores se agregam às múltiplas decepções causadas pelos indicadores americanos nestes últimos dias, dizem os especialistas. "É preocupante que no centro de tudo isso se encontre o temor de que o enfraquecimento econômico observado nos Estados Unidos não seja transitório, como mostram os terríveis indicadores de julho", disse Hugh Johnson.

No mercado obrigatório, cujos rendimentos evoluem em sentido contrário aos preços, o rendimento do bônus do Tesouro com vencimento para 10 anos caiu a 2,458%, contra 2,599% na quarta-feira à noite, e o bônus à 30 anos foi reduzido a 3,722%, contra 3,873% na véspera.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias