Agência

Fitch diz que venda pode ter reflexo no rating da EDP

O atual rating da companhia é BBB+, três graus acima da nota soberana de Portugal

Aline Souza
Aline Souza
Publicado em 13/12/2011 às 7:48
Leitura:

A agência de classificação de risco Fitch afirmou nesta terça-feira (13) que a venda da fatia de 21% do governo de Portugal na EDP pode ser positiva para o rating da companhia se fornecer acesso adicional a liquidez. A não ser por isso, o impacto da venda deve ser basicamente neutro para o rating.

"Como a atual participação do governo português não está explicitamente computada no nosso rating, a venda em si deve ser neutra para o rating. É altamente improvável, sob a nossa metodologia, que nós incluamos um suporte explícito para qualquer outro proprietário de uma fatia de tamanho similar", diz o relatório. O atual rating da companhia é BBB+, três graus acima da nota soberana de Portugal.

A Fitch diz acreditar que a EDP tem liquidez suficiente, incluindo linhas bancárias e notes de curto prazo, para 2012, mas vai precisar de um refinanciamento para 2013, quando vencem dívidas no valor de 2,6 bilhões de euros.

Quatro competidores estão na disputa pela fatia do governo português na EDP: as brasileiras Cemig e Eletrobras, a alemã E.ON e a chinesa Three Gorges. Na segunda-feira (12) fontes afirmaram que a Three Gorges fez a melhor oferta pela participação de 21% e que a proposta mais baixa coube à E.ON. As propostas teriam variado de 2,3 bilhões de euros a 2,7 bilhões de euros.

Outra fonte afirmou que o governo de Portugal deve escolher o vencer até o fim do mês, provavelmente na próxima semana.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias