Economia

Cresce a previsão do mercado para o dólar

O mercado financeiro elevou a previsão para a taxa média de câmbio de R$ 1,80 para R$ 1,82 em 2012

Da AE
Da AE
Publicado em 07/05/2012 às 10:32
Leitura:

O mercado financeiro aumentou em um centavo a previsão para o dólar no fim do ano, de R$ 1,80 para R$ 1,81, de acordo com a pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira pelo Banco Central (BC). Para o fim de 2013, a expectativa subiu e também passou de R$ 1,80 para R$ 1,81, na primeira alta após seis semanas seguidas sem alterações. Há um mês, analistas previam dólar a R$ 1,78 no fim de 2012 e a R$ 1,80 no encerramento de 2013.

Na mesma pesquisa, o mercado financeiro elevou a previsão para a taxa média de câmbio de R$ 1,80 para R$ 1,82 em 2012. Para o próximo ano, a estimativa de dólar médio seguiu em R$ 1,80. Há um mês, a pesquisa apontava que a expectativa de dólar médio estava em R$ 1,77 em 2012 e em R$ 1,78 no próximo ano.

PIB

O mercado financeiro fez um ligeiro ajuste para cima na estimativa de crescimento da economia brasileira em 2012. A mediana das projeções para o crescimento em 2012 aumentou de 3 22% para 3,23%. Para 2013, porém, a aposta seguiu em 4,30%. Um mês antes, as estimativas eram de expansão de 3,20% neste ano e de 4,20% no próximo ano.

A projeção para o crescimento da indústria em 2012 foi na direção contrária e caiu de 2,02% para 1,92%. Para 2013, a tendência foi idêntica e a mediana para a expansão industrial caiu de 4% para 3,95%. Um mês antes, a pesquisa apontava estimativa de crescimento de 2% neste ano e de 4% em 2013.

Analistas reduziram ainda a previsão para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2012, de 36,20% para 36,10%. Para 2013, a projeção manteve-se em 34 70%. Há quatro semanas, as projeções estavam em, respectivamente 36,35% e 35% do PIB para cada um dos dois anos.

IGPs

As projeções para os IGPs em 2012 voltaram a subir na pesquisa Focus. A aposta para a alta do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) neste ano avançou de 5,11% para 5,14%, na quarta alta seguida.

Para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos contratos de aluguel, após oito semanas seguidas de aumento das estimativas, a previsão manteve-se em 5,24%. Quatro semanas atrás, o mercado previa altas de 4,88% para o IGP-DI e de 4,69% para o IGP-M.

Para 2013, a estimativa de alta para o IGP-DI seguiu em 4,90% pela quinta semana seguida. Para o IGP-M, a expectativa manteve-se em 5,00%. Há um mês, a aposta para a inflação em 2013 era de 4,90% no IGP-DI e de 4,94% no IGP-M.

A pesquisa também mostrou que a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em 2012 subiu e passou de 4,46% para 4,50%. Há um mês, a expectativa dos analistas era de alta de 4,36% para o índice que mede a inflação ao consumidor em São Paulo. Para 2013 a mediana das estimativas para o IPC da Fipe subiu de 4,89% para 5,00%, ante 4,89% estimados há um mês.

Economistas reduziram, ainda, a estimativa para o aumento do conjunto dos preços administrados - as tarifas públicas - em 2012 de 3,80% para 3,70%, ante 3,95% previstos há um mês. Para 2013, a previsão de alta dos preços administrados manteve-se em 4,50% pela 117ª pesquisa consecutiva.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias