AUTOMOTIVO

Estado tem 96 empresas atuando no setor automotivo

Mais duas empresas se credenciaram no programa que dá incentivo ao setor esta semana

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 12/02/2015 às 9:05
Leitura:

O Estado tem  96 empresas do setor automotivo que fazem parte do Programa de Desenvolvimento do Setor Automotivo do Estado de Pernambuco (Prodeauto). “Isso inclui desde a indústria (a Jeep) até os fornecedores e as que fazem a distribuição dos veículos no atacado”, resume o diretor de Controle e Acompanhamento de Benefícios Fiscais da Secretaria da Fazenda estadual, José Cruz. Esta semana, mais duas empresas pediram o credenciamento ao programa: a Brose do Brasil e a Magneti Marelli. Ambas são fornecedores da fábrica da Jeep (controlada pela Fiat) que está se instalando em Goiana, Mata Norte do Estado. A primeira produz mecanismos de acionamento de vidros, enquanto a segunda fabrica componentes automotivos. A Brose é uma das 16 sistemistas que ficará dentro da fábrica da Jeep.

O programa concede uma redução de até 95% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) a pagar para as empresas que aderiram à iniciativa. A central de distribuição da Toyota deverá ser contemplada pelo programa, segundo José Cruz.

A distribuição dos veículos das montadoras da General Motors (GM) e da Volkswagen via Suape também são contempladas pelo programa, que começou em 2009 com apenas cinco empresas cadastradas.
Questionado sobre o valor da renúncia fiscal do governo do Estado, Cruz responde que não tem esse valor. E argumenta: “Essas operações não existiam antes do programa, porque esses veículos eram distribuídos por outros Estados”.

O incentivo às empresas desse setor, de acordo com ele, é justificado por três variáveis. “É a indústria que mais gera mais renda, emprego e novas tecnologias, demandando uma mão de obra mais especializada. Isso tudo resulta em mais desenvolvimento”, conclui.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias