Rede

Embratel condiciona investimentos ao resultado de licitação

Empresa venceu concorrência para gerir o sistema de dados e voz do governo, mas Oi recorreu

Da editoria de Economia
Da editoria de Economia
Publicado em 05/07/2012 às 15:53
Leitura:

A Embratel anunciou na quarta-feira (4) o início dos investimentos de R$ 320 milhões que fará para ampliar a infraestrutura de telecomunicações em Pernambuco. O aporte vai acontecer por conta da licitação bilionária do PE-Conectado. A empresa lidera o consórcio que deu o menor lance (R$ 1,01 bilhão). O detalhe é que a Embratel ainda não foi sacramentada como vencedora da disputa, pois seu concorrente, o grupo comandado pela Oi, impetrou um recurso administrativo que aguarda julgamento da Secretaria de Administração de Pernambuco.
Diante da situação inusitada, a Embratel informou, através de sua assessoria de imprensa, que caso venha a perder a disputa, irá simplesmente interromper as obras. Essas consistem na construção de uma nova rede de fibra óptica para todo o Estado que chegará a 2.200 quilômetros. Todo o aporte será efetuado ao longo de um ano.
A empresa não quis comentar o teor do recurso administrativo da Oi e nem os argumentos que apresentou para rebatê-lo. O consórcio de empresas liderado pela Embratel é formado pela Claro S/A, Americel S/A e Hidelbrando do Brasil Serviços Tecnológicos Ltda.
O PE-Conectado é um megapacote de serviços que prevê desde o gerenciamento dos telefones fixos de toda administração pública até a instalação de centrais de monitoramento por vídeo de ruas, prédios e escolas estaduais por um período de quatro anos. Em números, significa um total de 17 mil linhas de telefones móveis, 40 mil ramais de telefonia fixa, 1,2 mil ambientes de videoconferência, 40 localidades com rede Wi-Fi aberta e implantação de 10 mil câmeras de segurança.
O mercado consumidor aguarda com ansiedade o resultado da licitação. Se a Embratel enfim ganhar a briga, haverá concorrência comercial para internet de banda larga no interior do Estado. A área hoje é monopolizada pela Oi. Com um concorrente, é natural que ocorra redução nos preços. O acesso à banda larga no Sertão chega a ser dez vezes mais caro que no Grande Recife.
“Estamos muito felizes com a conquista. O Estado de Pernambuco será o primeiro do País a ter real competição na telefonia fixa local, pois todos os seus 186 municípios poderão contar com a Embratel como uma nova empresa concorrente para atender às demandas da população”, declarou, no texto enviado pela assessoria de imprensa, a diretora executiva Centro-Norte da Embratel, Maria Teresa Lima.
O consórcio liderado pela Embratel anunciou também que “aumentará a presença na região em 460%, disponibilizando mais de 110 Gigabytes por segundo para atendimento à população”. Com essa ampliação, Pernambuco ficará com sua estrutura de telecomunicações 38% maior. Até a Copa do Mundo de 2014, a elevação será de 85%.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias