OPORTUNIDADE

Correios vão licitar novas lojas

Cerca de 1.100 unidades vão ser abertas em todo o País, a partir de setembro, com a licitação de novas franquias

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 01/06/2013 às 10:30
Leitura:

Ser um franqueado dos Correios não é algo fácil no País. Atualmente, apenas 14% das 7.477 agências da estatal pertencem a terceiros. Mas o número deve aumentar em setembro, com a realização de uma licitação nacional para ampliar a quantidade de unidades e capilarizar o serviço. E pode ser rentável virar um franqueado: o pró-labore varia segundo o movimento e o tamanho da agência, podendo ir até R$ 15 mil mensais, de acordo com a Associação Brasileira de Franquias Postais em Pernambuco (Abrapost-PE). Com a concorrência, cerca de 1.100 lojas serão abertas no País. O número de novas franquias em Pernambuco não foi informado.

Hoje existem apenas 30 franquias em Pernambuco. Apenas quem tem CNPJ pode adquirir uma loja franqueada. “O custo médio é de R$ 300 mil para se abrir uma dessas unidades, além de R$ 100 mil de capital de giro”, afirma o presidente da Abrapost-PE, Paulo Soto Mayor. O faturamento é quinzenal, mediante emissão de nota fiscal dos serviços, cujas taxas são variadas. A tabela é complexa e os percentuais de lucro variam de 8% a 30% sobre os valores. “Quem presta mais serviços tem percentuais menores, e vice-versa. Isso foi criado para garantir um ambiente de igualdade entre os franqueados”, diz Soto Mayor. 

Além disso, é possível fechar contratos com grandes atacadistas (geralmente lojas virtuais) para realizar a entrega de seus produtos. Soto Mayor pontua que nesse caso, o diferencial é a qualidade do atendimento, porque os preços dos serviços dos Correios são tabelados. 

Para a estatal, as vantagens são grandes. “Não há custos com instalação e ajuda a capilarizar o serviço, o que já é um bom alívio no bolso”, esclarece o subgerente da rede de atendimento terceirizada dos Correios no Estado, Raimundo Mathias

Graças a mudanças contratuais realizadas desde 2009 e efetivadas em 2012, a rentabilidade do franqueado diminuiu de 20% a 25% em relação à modalidade anterior. “Os Correios realizaram uma mudança para garantir a padronização e a credibilidade dos serviços nas agências de franquias”, observa Mathias. Os futuros contratos já serão regidos pelas novas regras. 

“Apesar disso, ainda é rentável ser um dono de franquia. Mas é preciso perseverar, principalmente se você for um iniciante sem conhecimento do meio. É preciso ir atrás dos grandes clientes para fechar contratos e eles já estão vinculados a outras agências”, opina Soto Mayor. Ele estima que, graças às novas regras, o pró-labore pode variar de R$ 3 mil a R$ 5 mil para agências pequenas; R$ 7 mil a R$ 10 mil para as médias; e chegar a R$ 15 mil nas unidades de maior porte. “Mas cada caso é um caso”, ressalta.

Para aperfeiçoar a licitação de setembro, os Correios vão realizar no próximo dia 28, em Brasília, uma audiência pública para discutir a proposta de edital. Já se sabe que os contratos têm duração de 10 anos, renováveis por mais 10 anos. 

Últimas notícias