Fiat

Cegonheiros protestam pelo direito de transportar a produção da Fiat

Os transportadores denunciam a formação de um cartel pela empresa mineira SADA, que impede a participação do grupo pernambucano no escoamento da produção da Fiat

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 22/01/2015 às 9:16
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Os transportadores denunciam a formação de um cartel pela empresa mineira SADA, que impede a participação do grupo pernambucano no escoamento da produção da Fiat - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Os cegonheiros, motoristas que fazem o transporte de veículos em caminhões cegonha, de Pernambuco realizam, na manhã desta quinta-feira (22), um protesto reivindicando o direito de transportar a mercadoria produzida pela fábrica da Fiat em Goiana, na Zona da Mata Norte do Estado. Os transportadores denunciam a formação de um cartel pela empresa mineira SADA, que impede a participação do grupo pernambucano no escoamento da produção da Fiat.

Os cegonheiros levaram suas cegonhas para o Cais de Santa Rita, no bairro de São José, área central do Recife, em uma manifestação pacífica, e vão seguir em panfletagem para o Mercado de São José, também no Centro. "A gente quer que o povo pernambucano pegue na nossa mão e nos ajude a esclarecer esse cartel que está chegando no Estado", explicou Luciano Pontes, presidente do Sindicato das Empresas Transportadoras e Transportadores Autonomos de Veículos Automotores de Pernambuco (Sintrave-PE).

Segundo Luciano Pontes, a categoria conseguiu da Fiat a autorização para realizar o transporte de parte dos veículos produzidos na fábrica de Goiana, mas esbarrou com a SADA Transportes e Armazenagens S.A., que detém o direito de transporte dos veículos da Fiat. O Sintrave acusa a SADA de promover um cartel no setor de automóveis do País, além de denunciar irregularidades na documentação da empresa.

O grupo chama a atenção para o fato de que, na última sexta-feira (16), o sindicato realizou uma audiência mediada pelo Ministério do Trabalho e, nela, a Fiat se mostrou disposta a dar oportunidade de atuação para os cegonheiros do Estado. O entrave da questão fica por conta da SADA, que, segundo o Sintrave, não autoriza a participação dos cegonheiros pernambucanos. A reportagem entrou em contato com a SADA, que se disponibilizou a enviar uma nota, mas até o momento não obteve resposta.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias