COMBUSTÍVEL

Decal começa a produzir gasolina em Pernambuco

Empresa italiana inicia a fabricação na segunda-feira, dia 27 de abril, e tem capacidade de produzir próximo ao consumo do Estado

Da Editoria de Economia
Da Editoria de Economia
Publicado em 24/04/2015 às 11:36
Leitura:

A companhia italiana Decal vai começar a produzir gasolina no Porto de Suape a partir da próxima segunda-feira, dia 27 de3 abril. A expectativa é de produzir mensalmente 20 mil metros cúbicos de gasolina A (sem álcool anidro) por um período de três meses, considerado de “testes”. A empresa pode fabricar até 100 mil m³ por mês do combustível. “A nossa capacidade é de atender todo o mercado de Pernambuco”, explica o administrador geral da Decal no Brasil, Jorge Lemos. Atualmente, o Estado consome cerca de 110 mil metros cúbicos de gasolina C, aquela que tem a adição de álcool anidro.

A entrada em operação da Decal é considerada um marco no País, porque até então somente quatro processadores fabricam a gasolina a partir da nafta e a sua capacidade de produção é somente de 84 mil metros cúbicos mensais. “O petróleo e os seus derivados são um dos vilões da balança comercial do País. Com o começo da nossa operação, a Petrobras pode usar mais matérias-primas nacionais e deixar de importar uma parcela da nafta e da gasolina. Também é mais fácil atender a logística a partir de uma produção local”, comenta Lemos. Nesse caso, transporte também é mais barato do que o internacional.

Na operação, a Petrobras compra a nafta e entrega à Decal, que a transforma em gasolina. A primeira remessa da matéria-prima chegou esta semana e veio da Argélia e do Paraná, somando um total de 28 mil metros cúbicos do produto. Depois que a gasolina estiver pronta, vai passar pelos testes de laboratório e certificações exigidos pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), que serão realizados no Rio Grande do Norte inicialmente. “No entanto, já nos informaram que esses equipamentos serão instalados na Refinaria Abreu e Lima (Rnest) para fazer esses testes localmente”, conta. Também instalada em Suape, a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) está produzindo nafta.

“A perspectiva é de que no início de maio a gasolina fabricada em Suape chegue às distribuidoras”, afirma Lemos. A Decal trabalha com a Petrobras armazenando combustíveis em Suape desde 2005. Atualmente, o terminal da empresa tem a capacidade de armazenar 156 mil metros cúbicos. Desse total, o espaço de 52 mil metros cúbicos de tancagem será destinado ao processamento da gasolina. A empresa contratou mais cinco pessoas para realizar a operação, porque o processo é muito automatizado.

EXPANSÃO

A Decal do Brasil tem um projeto de expansão do armazenamento de combustíveis em Suape, com a implantação de tanques que somariam uma capacidade para estocar mais 232 mil metros cúbicos de combustíveis, totalizando cerca de 400 mil m³. Isso demandaria um investimento estimado em R$ 250 milhões.
O projeto foi entregue em setembro do ano passado aos órgãos do governo federal que liberam a aprovação de novos investimentos nos portos: a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) e a Secretaria Especial de Portos (SEP). A primeira analisa o processo e a segunda concede a autorização para a realização do empreendimento.
De acordo com Lemos, o projeto é de 2012, mas surgiu uma nova lei dos portos em 2013 e somente em maio do ano passado ficou definido quem poderia avaliar o projeto. A lei dos portos de 2013 retirou o processo decisório das administrações dos portos estaduais e concentrou as decisões sobre a implantação de novos empreendimentos nos órgãos já citados acima.
Lemos diz que depois da aprovação pelos órgãos da área portuária seria necessário mais um ano para obter todas as licenças necessárias ao empreendimento. “A construção dos tanques poderia ser feita entre três e cinco anos. Quem vai dizer a velocidade dessa implantação é o mercado”, conta. No entanto, hoje está tudo parado esperando autorização dos órgãos competentes.
Fundada em 1961, a Decal é líder do setor de armazenamento de petróleo e produtos petroquímicos no mercado italiano. Além das operações já citadas (Suape e Itália), atua na Rússia, Panamá e Espanha, onde também faz a formulação de gasolina em terminais de combustíveis.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias