Mercado

Pesquisa mostra que manter micro e pequena empresa no Nordeste custa menos

Números foram resultado de pesquisa promovida pela Conta Azul, empresa de gestão financeira

Da editoria de Economia
Da editoria de Economia
Publicado em 23/06/2015 às 7:17
Foto: Free Images
Números foram resultado de pesquisa promovida pela Conta Azul, empresa de gestão financeira - FOTO: Foto: Free Images
Leitura:

Os custos para a manutenção de uma micro e pequena empresa no Nordeste chega a ser 17% menores que a média nacional. A boa notícia foi revelada através de uma pesquisa promovida pela Conta Azul, sistema de gestão financeira online focado nos empresários de pequeno porte. O levantamento mostra ainda o potencial futuro da região, já que o número de empreendedores locais entre 18 e 25 anos é maior que o número nacional (16% contra 10%).

“Aqui parece ser um ponto fora da curva. A pesquisa não nos permite dizer o que está motivando esse estímulo empreendedor na região, mas uma das melhores notícias é a de que existe uma geração nova e que já nasceu conectada para alimentar o setor”, avalia Marcelo dos Santos, sócio da Conta Azul. Outra vantagem para a região são os custos para a manutenção dos negócios: apenas dois dos dez itens listados são mais caros no Nordeste em comparação ao restante do País. Telefonia e internet e abastecimento de água e energia são 10% e 11%, respectivamente, mais onerosos para o nordestino.

Por outro lado, a maior dificuldade apontada no Nordeste para manter a empresa no dia a dia é a burocracia, sendo o principal ponto apontado por 22,4% dos participantes. Na sequência, aparecem empatados o cumprimento em tempo das tarefas e a análise das finanças e planejamento dos gastos (19,2%) e a concorrência (18,4%).

A pesquisa também mostra que o Nordeste acompanha a tendência nacional quando se trata da responsabilidade da gestão financeira. “A maior parte das empresas não tem uma pessoa voltada exclusivamente para a função e é muito comum que o trabalho com as contas fique para o fim do dia, quando sobra tempo”, analisa Vinicius Roveda, CEO da Conta Azul.

Realizada neste mês, a pesquisa ouviu 5.102 pequenos empreendedores em todo o País, sendo 543 do Nordeste. “Recorremos à pesquisa porque há uma carência muito grande de informação no setor sobre o perfil dessas empresas, já que muita coisa pode mudar no cenário econômico no intervalo de tempo entre os levantamentos do IBGE, por exemplo”, justifica Roveda.

A empresa oferece seu software de gestão financeira há três anos e meio e recebe apoio de investidores como Napkn, Monashees, Robbit Capital, Valar Ventures e Tiger. Entre seus clientes no Nordeste, a maioria é formada pelo setor de serviços, distribuição e pequeno varejo. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias