Impasse

Trabalhadores temem fim do Mirabilândia

Prazo para desocupação determinado por ação judicial acabou antes de novo endereço ficar pronto

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 03/02/2016 às 12:12
Foto: Chico Porto/ Acervo JC Imagem
Prazo para desocupação determinado por ação judicial acabou antes de novo endereço ficar pronto - FOTO: Foto: Chico Porto/ Acervo JC Imagem
Leitura:

Temendo serem demitidos, os funcionários do parque de diversões Mirabilândia participaram de uma audiência na manhã de ontem no Ministério do Trabalho e Emprego, no Recife. O parque, localizado no Complexo de Salgadinho, em Olinda, foi desativado no último domingo, dia 31 de janeiro, sem data definida de começar a funcionar no novo endereço, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife. Sem previsões, os funcionários têm o receio de ficarem desempregados.

O último dia de funcionamento do Mirabilândia foi a data definida em ação judicial para que a empresa desocupasse o terreno, que pertence ao governo de Pernambuco. Desde 2011 não houve a renovação do contrato de aluguel da área, vizinha ao Centro de Convenções, sendo estabelecido um prazo para que o Mirabilândia encontrasse um novo endereço. O terreno localizado na BR-101 Norte, em Paulista, no entanto, ainda não está pronto. O investimento está estimado em R$ 50 milhões.

“De um lado o governo do Estado está cumprindo uma decisão judicial e do outro a empresa não tem condições de começar a funcionar e o trabalhador está no meio. Mas nem o Mirabilândia quer ter prejuízo e nem o governo quer perder o investimento e os empregos. Acho que vamos chegar a um acordo”, avalia a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Parques do Estado, Débora dos Santos.

Segundo seu site oficial, o parque emprega atualmente 180 pessoas, principalmente jovens. A área alugada está em funcionamento desde 2002 e possui 57 mil metros quadrados e mais de 30 equipamentos, sendo o terceiro maior parque do segmento do País.

Últimas notícias