Transposição

Obra do velho chico está quase pronta, mas não tem escoamento de água

Dos 53 canais de abastecimento previstos para serem construídos em Pernambuco, apenas o de Salgueiro deve começar em breve

JC Online
JC Online
Publicado em 20/07/2016 às 12:02
Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem
Dos 53 canais de abastecimento previstos para serem construídos em Pernambuco, apenas o de Salgueiro deve começar em breve - FOTO: Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem
Leitura:

A execução da transposição de águas do Rio São Francisco está com 87,4 % de obra concluída, mas as obras complementares, aquelas que vão fazer a água do Velho Chico chegar as várias comunidades continuam se arrastando. É o caso dos 53 pequenos sistemas de abastecimento de água que seriam instalados próximos aos canais do projeto, que consiste na construção de dois grandes canais, o Eixo Norte e o Eixo Leste. O primeiro começa em Cabrobó e vai até Barro, no Ceará. Já o segundo começa em Floresta e segue até Monteiro, na Paraíba.

Em Pernambuco, os 53 sistemas beneficiariam as comunidades próximas aos dois canais. Somente um deverá ter a sua obra iniciada em agosto próximo. É o de Conceição das Crioulas, em Salgueiro, a 514 km do Recife. Do total, 42 serão implantados pela Secretaria estadual de Agricultura e Reforma Agrária (Sara) e 11 terão a sua execução realizada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa). 

Os 42 sistemas a serem implantados pela Sara deverão ter um custo de R$ 82 milhões, enquanto os da Compesa somarão um investimento de R$ 44,9 milhões. Em ambas as iniciativas, os recursos são da União repassados pelo Ministério da Integração Nacional.

“A nossa intenção é começar as obras até novembro. Refizemos os projetos, porque entendemos que poderia ocorrer uma redução dos custos”, diz o secretário estadual de Agricultura e Reforma Agrária, Nilton Mota. Como exemplo, ele cita que no projeto original cada sistema tinha um canteiro de obras e com a readequação se optou pela implantação de um canteiro para cada dois ou três sistemas próximos. Com essas adequações, os custos saíram de R$ 93 milhões para R$ 82 milhões.

“Recebemos os projetos do Ministério da Integração Nacional há quatro meses”, argumenta o secretário. No entanto, o anúncio da construção desses sistemas foi feito pelo então ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, em 14 de junho de 2015. 

Para os sistemas a serem feitos pela Compesa, foram repassados R$ 2 milhões da União em março último. “Além do sistema de Conceição das Crioulas que está com a licitação em fase final, temos mais dois sistemas para serem licitados, mas só vamos fazer isso, se ocorrerem novas liberações”, explica o diretor de Articulação e Meio Ambiente da Compesa, Aldo Santos. Esses sistemas deveriam ser entregues até janeiro de 2017, o que provavelmente não vai ocorrer. 

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, faltam apenas 12,6% para conclusão das obras da transposição que deve ocorrer em 2017. E, pelo andar da carruagem, grande parte dos 53 sistemas será finalizado depois do próximo ano. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias