CERVEJA

Grupo Petrópolis projeta ampliação e abre fábrica para visitação

Fábrica em Itapissuma produz cervejas Itaipava e Crystal. Expectativa é de que expansão ocorra em dois anos

Da Editoria de Economia
Da Editoria de Economia
Publicado em 05/08/2016 às 8:30
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

O Grupo Petrópolis espera expandir a estrutura da fábrica em Itapissuma, no Grande Recife, em até dois anos. A expectativa vai contra o momento de crise, enfrentado até pela indústria de cerveja. Segundo a Ambev, a produção da bebida caiu 6% no segundo trimestre deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, no Brasil. O crescimento da unidade, porém, está atrelado à conquista do mercado local.  Confira as dez cervejas mais consumidas pelos brasileiros.

Os números relacionados ao market share da empresa são expressivos. Desde a implantação da fábrica, em 2014, a inauguração oficial em 2015, até agora, a participação no mercado de cerveja em Pernambuco passou de 5,5% para 23,6%. No Brasil, o índice é de 14,5%. 

O gerente–geral da indústria, Everaldo Miranda, afirma que isso se dá à boa aceitação do produto. “O crescimento acompanha a introdução do produto no mercado, que está sendo muito bem aceito. Esperamos a expansão em curto a médio prazo. A planta já tem um espaço reservado para a ampliação, mas dependemos da abertura no mercado. Pernambuco tem mão de obra qualificada para a indústria e um polo de bebidas”, explica. O mestre cervejeiro Leonardo Penna, também avalia positivamente o local. “Aqui, a água é abundante e de boa qualidade.”

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
O Grupo Petrópolis abriu as portas da fábrica em Itapissuma. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Os visitantes vão conhecer a produção da cerveja. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Tudo começa com a cevada. O Grupo Petrópolis importa da Argentina. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
A cevada é prensada, aquecida e transformada em mosto cervejeiro. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Na pia da espia, funcionário confere se mosto está filtrado. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Depois, o líquido é resfriado e recebe a levedura. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
A última etapa é o envasamento. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
A fábrica tem capacidade de envasar 62 mil garrafas por hora. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
E pode envasar 128 mil latinhas por hora. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
As latinhas recebem anel de proteção. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Antes da conclusão, as garrafas são limpas com solda caústica. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
A cerveja é pasteurizada antes de ser envasada. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
O processo de produção leva 15 dias. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Ao fim, o visitante pode degustar cerveja e aperitivos. Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem - Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Em relação à crise, Everaldo Miranda afirma que não houve diminuição no consumo ou na produção da bebida. Desde o ano passado, a fábrica em Itapissuma aumentou em 10% a produção. As cervejas produzidas no Estado abastecem Alagoas, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe e parte do Norte do País. 

Em Itapissuma, é possível envasar até 62 mil garrafas e 128 mil latinhas por hora. Com a implantação das fábricas de Alagoinhas, na Bahia, e de Pernambuco, o Grupo Petrópolis incrementou em 48% a capacidade de produção e distribuição do grupo. O objetivo é estar em todo o Brasil até 2020. 

BEER TOUR

Os apreciadores de cerveja vão poder conhecer o processo de produção da bebida com mais profundidade. A partir de hoje, podem se inscrever para conhecer a fábrica do Grupo Petrópolis em Itapissuma, onde são produzidas Itaipava e Crystal. A indústria tem capacidade de produzir seis milhões de hectolitros. 

Os visitantes poderão conhecer o processo da transformação da cevada em malte até o envasamento. O tempo de duração é de aproximadamente duas horas. “O passeio é uma oportunidade de abrir as portas da indústria para o público e conquistar novos consumidores”, afirma Everaldo Miranda. 

Ao fim, o visitante poderá degustar da cerveja acompanhado por aperitivos no bar localizado dentro da fábrica. O passeio é gratuito e voltado apenas para maiores de 18 anos. Menores de idade não podem participar, mesmo acompanhados dos pais. O passeio ocorre de terça a quinta, pela manhã e à tarde, e na sexta pela manhã. Para participar, é preciso agendar previamente pelo e-mail vnascimento@grupopetropolis.com.br.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias