Mercado

Europa Câmbio vende moeda estrangeira no cartão de crédito

Operação é mais barata do que usar o cartão de crédito no exterior

Da Editoria de Economia
Da Editoria de Economia
Publicado em 05/09/2017 às 14:58
Léo Motta/JC Imagem
Operação é mais barata do que usar o cartão de crédito no exterior - FOTO: Léo Motta/JC Imagem
Leitura:

Comprar moeda estrangeira com pagamento no cartão de crédito já é possível no Brasil. A Europa Câmbio, empresa pernambucana com 22 anos de mercado, está oferecendo o serviço em todas as suas 25 lojas espalhadas por sete estados (Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Distrito Federal. Na ponta do lápis, é mais vantajoso comprar moeda no cartão de crédito do que usar o cartão internacional no exterior.

O Diretor de Varejo da Europa Câmbio, Edisio Pereira Neto, explica que na compra com cartão de crédito no exterior o cliente paga uma taxa de IOF de 6,38% e a cotação do câmbio é definida pelo banco, além de ser surpreendido pelo preço da moeda no vencimento da fatura do cartão de crédito. Isso porque da compra no exterior até o dia de pagamento da fatura, a moeda pode estar mais cara e o cliente ter uma surpresa desagradável. “Na compra de moeda estrangeira no cartão de crédito, a taxa é bem inferior a do IOF (3,5%), o câmbio é negociado na hora e existe a garantia de fixação do câmbio para evitar surpresas”, compara.

VENDAS

Com o novo produto, a Europa Câmbio aposta num crescimento entre 5% a 10% na venda de moeda estrangeira. O próximo passo será parcelar a venda no cartão de crédito em até três vezes. A expectativa é que a opção esteja disponível até o final do ano, com um acréscimo de juros. “Mesmo com esse acréscimo ainda será mais vantajoso do que comprar com o cartão no exterior, porque o IOF ainda será mais alto do que os juros na operação”, afirma.

A empresa aceita as bandeiras Visa, Master, Amex, Elo e Diners e disponibiliza dólar, euro, libra, franco suíço, dólar canadense, dólar australiano, dólar neozelandês, yen e yuan. No ano passado, a companhia investiu R$ 5 milhões para ampliar sua rede de lojas de 12 para 25. A meta é chegar a 50 lojas em 2019 e iniciar um projeto de franquia.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias