FINANCIAMENTO

Compesa tenta levantar recursos do FGTS para obras de saneamento

Empréstimo realizado diretamente pela Companhia promete ser mais ágil que tomada de recursos da União pelo Estado

Da editoria de Economia
Da editoria de Economia
Publicado em 04/10/2017 às 7:15
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Empréstimo realizado diretamente pela Companhia promete ser mais ágil que tomada de recursos da União pelo Estado - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Para tentar agilizar a realização de obras de saneamento básico no Estado, o Governo de Pernambuco pretende levantar recursos através de empréstimos realizados diretamente pela Compesa. Com as contas equilibradas, a companhia calcula conseguir R$ 350 milhões em financiamentos com recursos do FGTS até o fim deste ano e iniciar obras ainda no primeiro semestre do próximo ano para atender principalmente municípios do Grande Recife e do Agreste Setentrional (Sul).

O empréstimo foi tratado numa reunião realizada ontem entre o governador, Paulo Câmara (PSB), e o ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB), em Brasília. O socialista pediu apoio para viabilizar a liberação dos recursos através da Compesa.

“A questão é que, quando os recursos são captados pelo Estado, é preciso concorrer com outras unidades da federação e isso acaba tornando o trâmite mais lento. Ao fazer um empréstimo diretamente pela companhia, conseguiríamos esses valores mais rapidamente. E hoje a Compesa tem condições financeiras de fazer isso”, explica o presidente da Compesa, Roberto Tavares, que também esteve presente na reunião.

Segundo ele, o Estado tem até o fim de dezembro para apresentar os detalhes econômicos-financeiros e de engenharia para solicitar os recursos. Para isso, equipes técnicas da Compesa, do Ministério das Cidades e da Caixa Econômica Federal – gestora dos fundos do FGTS – irão trabalhar juntas para a formulação dos relatórios. Depois disso, ainda será preciso iniciar os processos de licitação para, a partir daí, iniciar as obras.

“A Compesa está estruturada e, pela primeira vez em sua história, poderá tomar empréstimos diretamente. A boa gestão de uma empresa pública permitirá acelerar ainda mais os investimentos em saneamento para milhares de pernambucanos”, diz Paulo Câmara.

OUTROS RECURSOS

Além dos R$ 350 milhões que serão pleiteados diretamente à Compesa, o Governo de Pernambuco tenta levantar outros R$ 1,7 bilhão para outros 50 projetos já apresentados em agosto ao Ministério das Cidades para a área de saneamento básico. Dentre elas está a ampliação dos Sistemas de Água em Morros do Recife, de Jaboatão dos Guararapes e outros municípios do Grande Recife e Agreste; e a Adutora do Alto Capibaribe, que irá atender a oito cidades por onde passa o rio. Também estão previstas obras de esgotamento sanitário, principalmente no Recife e Petrolina, no Sertão.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias