BANCO

Prefeitos cobram reabertura de agências do Banco do Brasil no interior

Sete prefeitos do Agreste e Sertão que estão sem serviços do Banco do Brasil após investidas criminosas vieram ao Recife cobrar a reabertura das agências

JC Online
JC Online
Publicado em 06/11/2017 às 22:46
Foto: Cortesia
Sete prefeitos do Agreste e Sertão que estão sem serviços do Banco do Brasil após investidas criminosas vieram ao Recife cobrar a reabertura das agências - FOTO: Foto: Cortesia
Leitura:

Sete prefeitos de cidades do Agreste e Sertão do Estado que estão sem serviços do Banco do Brasil após investidas criminosas vieram nesta segunda-feira (6) ao Recife cobrar a reabertura das agências. O grupo, formado pelos prefeitos de Cupira, Flores, Iguaracy, Jurema, Orocó, Poção e Riacho das Almas, esteve na Superintendência Estadual do Banco do Brasil, no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e na Defensoria Pública do Estado.

De acordo com a assessoria da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), que organizou a reunião, o Banco do Brasil alegou que algumas agências não serão reabertas por conta da violência. "Foi falado para os prefeitos que não teria como reabrir as agências por causa da criminalidade. Só que os dados que eles usaram para afirmar isso não batem. Esse ano teve uma diminuição nos assaltos ao Banco do Brasil. Os prefeitos não aceitaram a desculpa", disse o assessor Luiz Felipe.

O presidente da Amupe, José Patriota, também destacou que os prefeitos não irão se conformar com a decisão do banco. "Isto está penalizando a população carente, aposentados, servidores públicos. Nós não vamos ficar parados, vamos reagir".

No Ministério Público, os gestores foram recebidos pelo procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu, que recomendou, inicialmente, a realização de uma reunião em Brasília para resolver a situação. "Foram dados dois encaminhamentos, o primeiro é para um dialogo com o Banco do Brasil, o Ministério Público e prefeitos de alguns municípios. Vamos tentar falar com representantes nacionais do Banco em Brasília. Se não der certo, aí vem o segundo passo, abrir uma ação conjunta no Ministério Público", afirmou a assessoria da Amupe.

Investidas contra o Banco do Brasil

A agência do Banco do Brasil localizada em Flores, no Sertão do Estado, foi alvo de explosão em agosto deste ano. De acordo com o 14º Batalhão de Polícia Militar, cerca de oito homens participaram. O grupo quebrou a porta de vidro do banco e explodiu um dos caixas eletrônicos.

Em Jurema, o Banco do Brasil foi alvo de explosão em julho de 2016. Uma casa lotérica, que fica por trás do banco, também foi atingida pelo impacto da explosão. Na cidade de Iguaracy, a explosão foi registrada em 16 de junho de 2016. Os suspeitos conseguiram fugir levando uma quantia em dinheiro não informada.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias