Vendas para o Natal

Confira as dicas para comprar na reta final do Natal

Os lojistas têm expectativa de crescer 6% no Natal deste ano, segundo a CDL-Recife

Fiamma Lira
Fiamma Lira
Publicado em 23/12/2017 às 16:55
Foto: Edmar Melo/ JC Imagem
Os lojistas têm expectativa de crescer 6% no Natal deste ano, segundo a CDL-Recife - FOTO: Foto: Edmar Melo/ JC Imagem
Leitura:

A expectativa de crescimento para as vendas no Natal deste ano é de 4,2%, conforme a pesquisa divulgada ontem pela Boa Vista SCPC. Nas ruas do Centro do Recife e nos shoppings, como RioMar Recife, por exemplo, o que se vê é um movimento bastante intenso, com os estabelecimentos lotados.

Segundo o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL Recife) Eduardo Catão, ontem, hoje e amanhã são os dias de maior movimento no comércio do ano. “Essa é a época onde as pessoas que recebem o décimo terceiro salário fazem compras para a família”, pontua. Catão acrescenta que o cenário é positivo. “Vamos chegar a um crescimento de 6% em comparação com o ano passado. O movimento está muito bom, com as lojas lotadas”, completa. Os segmentos mais procurados são os de vestuário, calçados e o de perfumaria e cosméticos.

O vendedor Alexandre Zeferino Filho é uma dessas pessoas. “Vim hoje por causa da minha rotina agitada”, conta. Zeferino comprou dois sapatos com 20% de desconto no segundo calçado. Para ele, os valores cobrados estão bons.
O autônomo Kennedy Queiroz também é outro exemplo disso. “Não fiz pesquisa anteriormente e estou gostando dos preços ofertados”, comenta.

No entanto, há consumidores que sentiram no bolso o peso do atraso. A autônoma Janayna Alves integra a lista. Ela deixou para comprar mais tarde para conseguir descontos nas compras à vista. “Os produtos estão muito caros. Vim comprar três bermudas, um sapato e uma sandália e tudo isso custou R$ 300”, detalha.

Dicas

O economista da Fecomércio-PE Rafael Ramos diz que os retardatários não devem esquecer da pesquisa de preços. “Uma sinalização que eu dou para as pessoas é comprar à vista, entendendo que não vai faltar no seu orçamento. Se for comprometer, tente parcelar em opções que caibam no seu bolso. Se não tiver desconto à vista, é melhor comprar parcelado”, aconselha.

“A pessoa deve verificar se o item é necessário e se vale a pena ser comprado”, conclui.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias