INCREMENTO

Renda extra dos anfitriões do Airbnb no Carnaval cresceu mais de 70% no Recife

Moradores de Fortaleza, Salvador, Recife e Maceió que alugaram seus espaços pela plataforma garantiram renda extra de quase R$ 5 milhões nos dias de folia

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 15/02/2018 às 16:30
Foto: Arnaldo Carvalho/Drone JC Imagem
Moradores de Fortaleza, Salvador, Recife e Maceió que alugaram seus espaços pela plataforma garantiram renda extra de quase R$ 5 milhões nos dias de folia - FOTO: Foto: Arnaldo Carvalho/Drone JC Imagem
Leitura:

A renda extra dos anfitriões do site Airbnb no Recife, durante o Carnaval, passou dos R$ 620 mil em 2017 para mais de R$ 1 milhão este ano, um crescimento superior aos 70% segundo dados do próprio serviço online. Somente na capital pernambucana, 1.200 pessoas já aderiram ao serviço para alugarem seus imóveis e ou espaços compartilhados.

As cidades do Nordeste seguiram a mesma tendência de aumento durente o Carnaval. Conforme a Airbnb, os moradores de Fortaleza, Salvador, Maceió e também Recife chegaram, juntos, a uma renda extra de quase R$ 5 milhões.

Conforme a gerente de comunicação da Airbnb para a América Latina, Leila Suwwan, Recife foi uma das capitais com maior aumento de número de reservas para Carnaval pelo Airbnb e, com isso, garantiu aos moradores um incremento nos rendimentos deste início de ano. "Essa renda extra ajuda os moradores a pagar suas contas e manter seus lares. Além disso, os visitantes trazem uma importante movimentação econômica para os bairros onde dormem e circulam. A acomodação em lares ajuda a cidade a aumentar sua capacidade total de acomodações em período de pico, já que os hotéis costumam ficar lotados, além de garantir uma variedade de preços, permitindo que mais pessoas possam viajar, a lazer e a descanso” relata.

Hotéis

Já a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado (ABIH-PE) comemorou 97% de ocupação nos principais polos de folia e também no Litoral Sul e Agreste de Pernambuco. Segundo estimativa da própria associação, houve aumento de até 10% na ocupação hoteleira em comparação com o ano passado. No Recife, a ocupação chegou a 90%. Já em Porto de Galinhas, no Litoral Sul, e Gravatá, no Agreste, ficou em torno de 95%.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias