DECISÃO

Reunião fecha acordo para resolver desabastecimento de gás de cozinha

Acordo entre Petrobras e distribuidoras de gás ocorreu após convocação do Ministério Público de Pernambuco

Kevin Fonseca
Kevin Fonseca
Publicado em 14/06/2018 às 20:19
Foto: Reprodução/ MPPE
Acordo entre Petrobras e distribuidoras de gás ocorreu após convocação do Ministério Público de Pernambuco - FOTO: Foto: Reprodução/ MPPE
Leitura:

Uma reunião fechou o acordo entre a Petrobras e distribuidoras de gás nesta quinta-feira (14) para resolver o desabastecimento do gás de cozinha. O encontro aconteceu na Sede de Promotorias de Justiça, após uma reunião convocada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Para o próximo domingo (17) foi agendado um bombeio simultâneo dos dutos de GLP da Petrobras, no Complexo Industrial Portuário Governador Eraldo Gueiros, o Porto de Suape, para tentar aumentar a velocidade de abastecimento e ainda suprir uma maior demanda do produto para todas as distribuidoras que operam no porto: Nacional Gás, Liquigás, Ultragás, Copagaz e Supergás.

Se houver sucesso no novo procedimento, haverá mais agilidade e menos tempo perdido no bombeio, assim como um maior volume de GLP será fornecido às distribuidoras. Os representantes das empresas afirmaram que possuem um número satisfatório de botijões para um aumento de demanda.

A Petrobras confirmou possuir GLP suficiente para fornecer as quantias a mais que foram requisitadas. Inclusive, o representante da Petrobras, Marcelo Malta, informou que há dois navios da companhia no Porto de Suape com 80 mil toneladas do produto.

Empresas se comprometeram a receber cota adicional

A Ultragás se comprometeu a receber uma cota adicional de 150 toneladas por dia, num total de 620 toneladas. A Nacional Gás pode receber 200 toneladas por dia a mais, num total de 630 mil toneladas. A Liquigás comentou que envasou 23 mil botijões em maio e que poderia aumentar a demanda em mais seis mil, o que corresponderia a 180 toneladas, somando um total de 400 toneladas por dia. A Supergas tem condições de envasar mais 150 toneladas por dia, perfazendo um total de 300 toneladas.

“Tivemos uma reunião produtiva. Conseguimos um acordo que pode vir a solucionar o problema do desabastecimento de GLP em Pernambuco. É um passo importante para, ao menos, minimizar as dificuldades que a população vem sofrendo”, comentou a coordenadora do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Consumidor (Caop Consumidor), a promotora de Justiça Liliane Fonseca.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias