EMPREGOS

Trabalhadores formam fila em busca de emprego no Projeto Novo Recife

Consórcio está recebendo currículos de interessados nas vagas de emprego disponíveis

Marcelo Aprigio
Marcelo Aprigio
Publicado em 27/03/2019 às 8:04
Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
FOTO: Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Leitura:

Em busca de emprego, trabalhadores da construção civil formam fila para entregar currículos no Cais José Estelita, área central do Recife, na manhã desta quarta-feira (27). No local deve ser construído um condomínio de alto padrão pelo Consórcio Novo Recife, formado pelas construtoras Moura Dubeux, Queiroz Galvão e GL.

Em entrevista à TV Jornal, o engenheiro Eduardo Moura, um dos responsáveis pelas obras, afirmou que a desde as 8h desta quarta o consórcio recebe currículos de trabalhadores interessados nas vagas de emprego disponíveis.

"Ontem surgiram algumas pessoas atrás de emprego, mas a gente não tava preparado para recebê-las. No entanto, por atenção a essas pessoas, vamos cadastrar elas e, tão logo a gente possa ter os postos de trabalhos disponíveis, vamos utilizar o pessoal aqui neste empreendimento", disse o engenheiro.  "Pessoas que trabalham no escritório do Consórcio estão aqui (no Cais José Estelita) para receber essas pessoas que vêm entregar currículos", continuou.

Eduardo Moura afirmou que as obras vão gerar até 500 vagas de empregos temporários, o que, segundo ele, é um número representativo para o setor, que está sofrendo os efeitos da crise econômica. "Depois de pronto, esse empreendimento vai criar cerca de 1.500 empregos permanentes. Portanto, estamos perdendo tempo para gerar empregos, não só na construção, mas em outras áreas. São empregos de porteiros, camareiras, jardineiros, trabalhadores da rede hoteleira e empresarial, que vão estar aqui (no Projeto Novo Recife)", disse.

Para entregar os currículos, os trabalhadores devem se dirigir ao Cais José Estelita. Os currículos devem ser preenchidos com nome, endereço e categoria de trabalho. Além disso, os interessados nas vagas devem levar a carteira de trabalho e entregá-las aos funcionários do Consórcio Novo Recife, que estarão no local para realizar o cadastros dos trabalhadores. "Nós estaremos prontos para atender qualquer demanda de procura", afirmou Eduardo Moura.

Entre os trabalhadores que foram ao Cais José Estelita estava a auxiliar de serviços gerais Roselane Pereira, 31 anos, que está desempregada há cinco anos. Ela chegou ao local às 5h desta quarta-feira e disse ter esperança em conseguir um emprego na obra. “Eu estou desempregada há 5 anos e espero que encontre alguma coisa hoje. Sei que a maioria são homens, sabe, mas eu já fiz curso até de cortar grama, que é um serviço que sai mais para homem. Vai que aparece alguma coisa por aqui pra mim hoje. Cheguei aqui às cinco horas e tenho esperança. A obra que estão querendo fazer, tem que existir. Vai ajudar muita gente”, disse Roselane. 

Já Fábio José, 46 anos, desempregado há 6 anos, disse que ficou sabendo pela televisão que o Consórcio Novo Recife estaria com vagas de emprego abertas. Para ele, que chegou cedo ao local, a construção é uma oportunidade para quem está sem emprego. “Cheguei aqui de sete e meia e vim procurar vaga de qualquer coisa que aparecer aí. Já trabalhei como ajudante, pintor, vigilante, várias funções. Eu fiquei sabendo aqui das vagas pela TV, dizendo que ia começar com a obra fazendo 13 torres e é uma oportunidade para a gente que está sem emprego, que é pai de família e é uma luz que veio para nós desempregados", afirmou ressaltando que "Pernambuco está precisando de uma área de lazer" como a que será construída no empreendimento. 

Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Diego Ferreira foi em busca de vaga para engenheiro - Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Roselane Pereira procura emprego na área de serviços gerais - Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Muita gente esteve entregando currículo no local da obra - Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Fábio José busca vaga de pintor, ajudante ou vigilante - Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
Foto: Maria Eduarda Bravo/JC
- Foto: Maria Eduarda Bravo/JC

Demolição suspensa

A demolição dos galpões do Cais José Estelita, que havia sido retomada na última segunda (25), foi suspensa na manhã dessa terça-feira (26), em liminar concedida pela 5ª Vara da Fazenda Pública da Capital, com efeito imediato. Os autores do pedido foram o 20º e o 35° Promotores de Justiça de Defesa da Cidadania da Capital. A liminar tem duração até uma decisão em contrário da Justiça.

O juiz Augusto Napoelão Sampaio Angelim, da 5ª Vara, determinou que a Prefeitura do Recife suspenda imediatamente a licença para execução das obras na área e que o Novo Recife Empreendimento ou qualquer grupo empresarial que tenha assumido o projeto também suspenda imediatamente a demolição e promoção de vendas dos apartamentos a serem construídos no local.

Em caso de descumprimento da liminar, será aplicada uma multa diária de R$ 5 mil, que deverá ser depositada em juízo e transferida para o Fundo de Desenvolvimento Institucional do Ministério Público de Pernambuco (FDIMPPE).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias