Fenearte

Circuito Pernambuco reforça incentivo à produção de orgânicos

Produção orgânica nacional vem crescendo mais de 20% ao ano,

Marília Banholzer
Marília Banholzer
Publicado em 09/07/2019 às 7:19
Notícia
Foto: Arquivo/Agência Brasil
Produção orgânica nacional vem crescendo mais de 20% ao ano, - FOTO: Foto: Arquivo/Agência Brasil
Leitura:

A produção orgânica nacional vem crescendo mais de 20% ao ano, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Esse aquecimento do mercado é notado pela proliferação de feirinhas de produtos orgânicos. Hoje, em Pernambuco, existem 96 pontos de venda registrados junto ao governo do Estado. Por causa desse movimento, o Circuito Pernambuco Orgânico foi apresentado durante a 20ª Fenearte, em Olinda.

Com uma barraquinha montada no estande do programa ProRural, recheada de produtos orgânicos in natura e processados, a proposta da Secretaria de Desenvolvimento Agrário de Pernambuco é promover o fortalecimento e a requalificação das feiras já existentes, além de incentivar a criação de novas unidades em cidades que ainda não possuem. “Queremos mostrar que orgânico é bonito, viável, e ajudar a criar o hábito nas pessoas de consumir esses produtos mais saudáveis”, explicou Karlone Barroca, gerente institucional do ProRural.

A barraca chamou a atenção da aposentada Edna Moura, 58 anos, que chegou procurando saber os preços dos itens, mas foi informada que nada ali estava sendo comercializado. A simulação serve para orientar o consumidor a como identificar se a feira é registrada e vende produtos verdadeiramente orgânicos. “Costumo consumir esses produtos há uns dez anos. Sempre vou nas mesmas feiras, mas em alguns momentos você não sabe se está levando um produto realmente orgânico. Geralmente eu vou pelo tamanho da cenoura, do tomate. Os produtos que receberam agrotóxicos são bem maiores”, contou Edna.

Atualmente há 19 mil pessoas no Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos no Brasil. Segundo dados do Conselho Brasileiro da Produção Orgânica e Sustentável (Organis), o mercado brasileiro de produtos orgânicos faturou R$ 4 bilhões no ano passado, com perspectiva de crescimento para 2019.

O agricultor Luiz Andrade, ligado à Associação Terra e Vida, que está com um estande na Fenearte, celebra a iniciativa do governo do Estado. Para ele, esse tipo de incentivo fortalece o mercado, mas alega que a confiança acerca dos produtos comercializados deve ser construída através do diálogo entre agricultor e consumidor. “Conversar, perguntar o que é usado na plantação como fertilizante, como pesticida. Isso ajuda quem está comprando a entender se o produto é orgânico mesmo”, disse Luiz Amadeu.

Proprietário do Sítio Sete Estrelas, Amadeu conta que a maior parte do que produz é usada, por ele mesmo, na produção de alimentos agroecológicos, como pães, biscoitos, doce entre outros. “Tudo o que usamos é orgânico, até mesmo a farinha. O conceito de produtos orgânicos é tudo que for livre de químicas. Então nós reutilizamos até as cascas das frutas e verduras. Desse tipo de atividade, tiro o sustento da minha família e gero renda para mais seis famílias”, celebra.

Conforme legislação brasileira, os alimentos orgânicos, vendidos em embalagem ou mesmo a granel, devem apresentar o selo ou sinalização de Produto Orgânico Brasil, que identifica a certificação do Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade Orgânica (SisOrg).

Os alimentos industrializados só recebem o selo do SisOrg se tiverem mais de 95% de ingredientes de origem orgânica. O produto que tiver mais de 70% e menos de 95% de ingredientes orgânicos pode ser identificado como “produto com ingredientes orgânicos”.

Últimas notícias