PARALISAÇÃO

Funcionários dos Correios suspendem greve em Pernambuco

A categoria volta ao trabalho a partir das 22h. Estado de greve está mantido

JC Online
JC Online
Publicado em 17/09/2019 às 19:17
Notícia
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A categoria volta ao trabalho a partir das 22h. Estado de greve está mantido - FOTO: Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Leitura:

Os funcionários dos Correios em Pernambuco decidiram, em assembleia, nesta terça-feira (17), suspender a greve iniciada no dia 10 de setembro. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos em Pernambuco (Sintect-PE), a categoria volta ao trabalho a partir das 22h.

Por meio de nota, os Correios informaram que as federações têm até às 22h desta terça-feira (17) para deliberarem sobre o fim do movimento para que a empresa aceitasse a proposta do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019 até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo pelo colegiado do TST.

Segundo a Fentect, a categoria reivindica reajuste salarial com reposição da inflação (3,25%) e não quer cortes de direitos conquistados. O estado de greve está mantido.

“Estamos aguardando, em estado de greve, o resultado da audiência em outubro. Não temos confiança nenhuma no governo ou na empresa, uma vez que se retiraram da mesa de negociação, algo que não é comum”, afirmou o secretário-geral do Sintect-PE, Hálisson Tenório Ferreira.

 

Leia a nota dos Correios

Os Correios aguardam o encerramento da paralisação parcial em todo Brasil para consolidarem as informações relacionadas aos impactos nas operações da empresa. As federações têm até às 22h de hoje, terça-feira (17), para deliberarem sobre o fim do movimento paredista. Essa foi a condição para que a empresa aceitasse a proposta do Tribunal Superior do Trabalho de manter as cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho 2018/2019 até o dia 2 de outubro, data do julgamento do dissídio coletivo pelo colegiado do TST.

Desde o início da paralisação parcial, os Correios colocaram em prática um plano de continuidade de negócios, estabelecendo ações de contingência para amenizar eventuais impactos à população. Entre as medidas estão o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação e a realização de mutirões nos fins de semana. As ações contingenciais continuarão a ser adotadas até que as entregas sejam normalizadas. Reiteramos que a rede de atendimento está funcionando normalmente em todo o país.

Dos 3.200 funcionários da empresa em Pernambuco, segundo o Sintect-PE, 2.792 participaram do movimento, resultando na paralisação de 80% das atividades no Estado.

Greve dos Correios

Os funcionários dos Correios decidiram aderir à greve nacional de servidores da estatal no dia 10 de setembro. Segundo a categoria, a greve queria impedir a redução dos salários e de benefícios, além de ser contra a privatização dos Correios, proposta defendida pelo Governo Federal, que incluiu a empresa no Programa Nacional de Desestatização em agosto.

Em Pernambuco, com a greve, apenas 30% dos serviços funcionaram, afetando assim a entrega de correspondências e mercadorias. Ao todo, funcionários de 200 agências dos Correios no Estado cruzaram os braços.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias