copa do mundo

Empresa que reformou o Maracanã entrega novo plano de viabilidade

O governo do estado vai analisar o novo plano e decidirá se o aceita

Ulysses Gadêlha
Ulysses Gadêlha
Publicado em 26/08/2013 às 17:36
Leitura:

Rio de Janeiro - A Concessionária Complexo Maracanã Entretenimento S.A. (Odebrecht, IMX e AEG) vai entregar na tarde desta segunda-feira (26) à Casa Civil estadual um novo plano de viabilidade para o complexo esportivo. O projeto dos vencedores da concessão teve que ser reformulado depois que o governo do estado decidiu cancelar a demolição do Parque Aquático Júlio Delamare, do Estádio de Atletismo Célio de Barros e da Escola Municipal Friedenreich, que dariam lugar a um museu do futebol multimídia, com lojas, restaurante e estacionamento.

O governo do estado vai analisar o novo plano e decidirá se o aceita. Caso rejeite a proposta, a concessão pode ser encerrada, e o estado assumiria o complexo ou faria outra licitação. Não há um prazo definido para que essa decisão seja tomada, mas dela também depende o replanejamento do Comitê Olímpico do Rio 2016 para o uso do complexo esportivo nos jogos.

A concessionária informou que continua interessada no projeto e, apesar das mudanças, se compromete a manter o investimento de R$ 594 milhões no complexo esportivo e no entorno, além do aluguel de R$ 5,5 milhões ao ano.

As demolições foram motivo de protestos de atletas e movimentos sociais desde que foram anunciadas e confirmadas pelo edital de licitação, lançado em fevereiro deste ano. O compromisso firmado para a concessão previa a reconstrução da escola e dos equipamentos esportivos em outro lugar.

No início deste mês, no entanto, o governador Sérgio Cabral voltou atrás e optou pela manutenção dos três prédios no local, dando 20 dias à concessionária para decidir se quer continuar com a concessão. Já havia uma decisão judicial que impedia a demolição, e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), que já tinha permitido, pediu mais tempo para analisar o caso.

Após a mudança, a prefeitura do Rio voltou a tombar os dois equipamentos esportivos, depois de ter revogado a medida em outubro de 2012. A escola municipal e o antigo Museu do Índio, que também fica no complexo do Maracanã, foram incluídos pela prefeitura neste último tombamento.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias