Provocações

Ronaldo alfineta Romário sobre críticas à Copa do Mundo

Fenômeno rebateu as constantes críticas feitas pelo Baixinho em relação à realização do Mundial no Brasil

Miguel Rios
Miguel Rios
Publicado em 06/11/2013 às 14:24
Leitura:

Principais nomes dos dois últimos títulos mundiais do Brasil no futebol, Romário e Ronaldo se entenderam muito bem dentro de campo, mas parecem divergir cada vez mais fora das quatro linhas. Em Londres, participando de evento sobre os preparativos para a Copa de 2014, o Fenômeno, que faz parte do comitê que prepara o País para receber a competição no ano que vem, rebateu as constantes críticas feitas pelo Baixinho em relação à realização do Mundial no Brasil, e até ironizou a oposição do ex-camisa 11.

"Estou lutando por uma coisa que estamos construindo. É muito fácil alguém ser oposição, tentar destruir, sentado na sua casa, sem acreditar no projeto, sem acreditar em nada, e só tentar destruir os outros", afirmou Ronaldo, quando questionado sobre o porquê de existirem opiniões tão divergentes dentro do Brasil sobre a importância de sediar o evento do ano que vem.

Desde que o País foi anunciado como sede da Copa do Mundo de 2014, Romário, atual deputado federal, foi um dos maiores críticos e sempre se mostrou contrário à realização do evento. Disparou, em inúmeras oportunidades, contra a Confederação Brasileira de Futebol e principalmente ao presidente, José Maria Marin, e vice-presidente, Marco Polo Del Nero, da entidade, chamando-os, inclusive, de “câncer do futebol brasileiro”.

Ronaldo, por sua, vez, seguiu caminho oposto. Uniu-se à CBF e passou a atuar como integrante fundamental do Comitê Organizador Local, ocupando uma cadeira no Conselho Administrativo.

"Eu nunca tive a pretensão de que todos pensassem igual a mim, ou que todos acreditassem em tudo que eu acredito. Quando recebi o convite para entrar no comitê, acreditei que seria uma grande oportunidade de crescimento para o Brasil, que o País receberia muitos investimentos. Por isso, acreditei e fiz isso pelo meu país", explicou Ronaldo, muitas vezes acusado de ter se ‘vendido’ à organização do Mundial no Brasil.

"Eu não estou fazendo isso por mim. Eu sou um voluntário para a Copa do Mundo e não ganho um centavo da Fifa, nem do Comitê (Organizador Local)", avisou, antes de novamente defender a organização da competição no Brasil.

"Acho que todos os fatos estão demonstrando que a Copa do Mundo é uma coisa maravilhosa para o nosso País e com grandes benefícios, sejam eles pelos investimentos que já foram feitos, ou por alguns outros que vão ser entregues após a Copa", acrescentou ele.

Por fim, o ex-atacante voltou a declarar que compreende o clima de agitação no Brasil e que apoia as manifestações pacíficas, tão presentes na Copa das Confederações, durante a disputa do Mundial de 2014.

"Sou a favor de qualquer tipo de protesto, sem violência. O brasileiro está cansando do descaso que teve durante muitos anos e está querendo respostas dos governos. A minha parte estou fazendo, construindo um Brasil melhor, mesmo que seja através do esporte", encerrou ele.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias