Telstar 2018

Sucessora da Jabulani e Brazuca, Telstar 18 é aprovada por jogadores

Nos testes da Fifa, pode-se ver que a nova bola é inspirada em um design clássico

Maria Eduarda Bravo
Maria Eduarda Bravo
Publicado em 29/01/2018 às 9:25
Foto: AFP
FOTO: Foto: AFP
Leitura:

Testada por mais de 600 jogadores profissionais, a bola que vai rolar nos gramados da Rússia foi batizada de Telstar
2018. Ela foi inspirada na Telstar que foi usada na Copa de 1970, no México, e em 1974, na Alemanha. Nos testes da Fifa, pode-se ver que a nova bola é inspirada em um design clássico. Além do chip introduzido na bola, também ocorreu uma bateria de testes de laboratório, onde comprovou que a absorção de água, deformação e comportamento após o chute são os três itens testados. A Telstar pesa 428 gramas. As informações são do Estadão Conteúdo.

Foto: AFP
- Foto: AFP
Foto: AFP
- Foto: AFP
Foto: AFP
- Foto: AFP
Foto: AFP
- Foto: AFP

“O chip funciona como um código de barras. O importante é o leitor, o chip é apenas uma parte. Na Copa a Fifa consegue ter todos os dados reais da bola, como deslocamento, velocidade, posicionamento global... A decodificação será feita só para a Fifa com as bolas da Copa”, revela Bruno Almeida, gerente sênior de relações públicas da adidas. “Para o torcedor, a bola terá um chip passivo, para evitar o hackeamento da bola. Ele foi desenvolvido para que o consumidor possa interagir”, diz.

Reações dos jogadores

O goleiro Cássio, do Corinthians, teve contato com a Telstar 2018 na Florida Cup e confirma que a bola surpreende quem joga com ela. “Ela é muito bem feita e eu gostei bastante. É uma bola rápida, mas que não varia tanto como outras. Achei realmente muito boa”, afirma o goleiro. “Outra coisa interessante é que ela não escorrega”, continua.

Outro jogador que já teve a experiência com a nova bola foi o atacante Luan, do Grêmio, que jogou com a Telstar 18 no Mundial de Clubes da Fifa, que aconteceu no último mês de dezembro. “Gostei muito da bola. Por ela não ser tão leve, isso pra nós atacantes é muito melhor. Achei também que o modelo ficou legal. Espero poder voltar a usá-la na Copa”, contou Luan.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias