Grupo F

Só a vitória interessa para a Alemanha contra a Coreia do Sul

Alemães perderam primeiro jogo e ainda buscam classificação na Copa

JC Online
JC Online
Publicado em 27/06/2018 às 7:01
AFP
Alemães perderam primeiro jogo e ainda buscam classificação na Copa - FOTO: AFP
Leitura:

A Alemanha chega revigorada para o último confronto do Grupo F da Copa do Mundo, após vencer a Suécia por 2x1, com gol marcado nos minutos finais da partida em lance magistral de Tony Kroos. Os germânicos, que sentiram a sensação da eliminação na segunda rodada, quando perdiam para os suecos, chegam à rodada derradeira, contra a Coreia do Sul hoje, às 11h, com três pontos e vivos na busca por uma vaga nas oitavas de final. Contudo, estão num grupo equilibrado e que pode ter um empate triplo no final.

Além do confronto entre Alemanha e Coreia do Sul, México e Suécia também se enfrentam hoje, no mesmo horário. Os mexicanos lideram a chave com seis pontos, seguidos pelos atuais campeões do mundo (segundo, com três). Os suecos estão em terceiro, também com três pontos ganhos. Os asiáticos estão em quarto – não pontuaram, porém, ainda possuem chance de classificação.

As duas seleções que avançam à próxima fase podem ser definidas pelo número de cartões amarelos, tamanho equilíbrio entre as equipes. Vale lembrar que sairá deste grupo o adversário do Brasil nas oitavas de final. Isso, claro, se o time de Tite avançar também hoje. Ou seja, o confronto contra a Alemanha, realizado em 2014 e vencido por 7x1 pelos alemães, pode ser reeditado.

Para se classificar sem fazer contas, a Alemanha precisa vencer por dois gols de diferença. Isso porque acabaria com saldo de gols melhor do que México ou Suécia, que jogam no mesmo horário. Tudo porque, se alemães e suecos ganharem, haverá uma igualdade tripla entre Alemanha, Suécia e México, todos com seis pontos. E o saldo de gols seria o critério de desempate. Para ser primeiro do grupo, o México precisa apenas empatar.

O equilíbrio é tanto que até a Coreia do Sul, derrotada nos dois primeiros jogos (contra Suécia e México), pode se classificar. Precisa vencer a Alemanha por 2x0 e torcer por triunfo do México ante a Suécia. Passaria porque ficaria com o saldo de gols melhor (0 contra -1 e -2 de suecos e alemães, respectivamente). Se triunfar por apenas um gol de diferença, poderá empatar com a Suécia e Alemanha também no saldo de gols e o classificado poderá sair no número de gols marcados ou pelo critério disciplinar.

Buscando ficar alheio a todos esses cálculos, o técnico Joachim Low já tem a equipe praticamente definida para o duelo de hoje. O suspenso Boateng dará lugar a Hummels. Já o volante Rudy está vetado por conta de uma fratura no nariz. Khedira e Gündogan brigam pela vaga. Outra mudança, desta vez por opção, pode ser a entrada de Sule no lugar de Rüdiger na zaga.

“A Coreia não tem apenas Son. Temos que nos adaptar ao adversário, eles têm dois ou três jogadores que são muito rápidos. Cometemos muitos erros contra o México, alguns contra a Suécia. Temos que ter certeza de que não perderemos a bola no meio campo. Son tem muita liberdade, vai profundo, temos que estar atentos”, analisou Low, se referindo ao principal nome da seleção sul-coreana.

O próprio astro asiático lembrou da possibilidade de classificação da Coreia do Sul, mas afirmou ser difícil isso acontecer. O jogador do Tottenham ressaltou que a maior favorita no duelo de hoje é a Alemanha. “Claro que faremos de tudo para ir às oitavas. Eles têm de vencer, nós também. São os atuais campeões, o número um do ranking mundial, mas você nunca sabe qual será o resultado. Muitas pessoas esperavam uma vitória da Alemanha contra o México, mas ela não aconteceu”, explicou. Son passou cinco anos no país germânico (entre 2010 e 2015). Jogou por Hamburgo e Bayern Leverkusen.

Esse equilíbrio do Grupo F, atrelado ao fator decisivo da última rodada, animam o atacante mexicano Javier Hernandez. “Nunca imaginamos que o grupo seria fácil. Com todo o respeito que temos, vamos buscar a vitória. Sei que ainda não estamos classificados. Tento ver tudo como positivo. Vai ser uma partida boa. Não só por conta do nosso grupo, mas são jogos decisivos para todas as quatro seleções”, analisou.

O gol da vitória da Alemanha, contra a Suécia, foi marcado após o sueco Durmaz cometer falta na lateral da área. Toni Kroos cobrou direto para o gol e virou o placar. De origem turca, o jogador passou a ser vitima de racismo nas redes sociais. Essa descriminação só serviu para aumentar ainda mais a união do grupo. Pelo menos é o que garante o treinador Janne Andersson.

“Foram dias muito turbulentos. Quando escutamos essas coisas, precisamos nos concentrar para seguir em frente. Estamos tentando ajudar Jimmy com seus sentimentos. Acreditamos que temos um bom ambiente, com energia positiva. Não leio tudo o que escrevem, mas fiquei chateado com alguns comentários que foram feitos”, disse.

Últimas notícias