fifa

Comissão de ética da Fifa investiga Warner e Bin Hammam

Polêmica acontece poucos dia antes das eleições do novo presidente da entidade, que acontecerá no dia 1º de junho

Diogo Menezes
Diogo Menezes
Publicado em 25/05/2011 às 11:17
Leitura:

PARIS - O comitê de ética da Fifa abriu nesta quarta-feira uma investigação a respeito de quatro dirigentes, entre eles Mohammed Bin Hammam e Jack Warner, por "possíveis violações" do código de ética e "alegações de fraude". Esta polêmica acontece poucos dia antes das eleições do novo presidente da entidade, que acontecerá no dia 1º de junho.
   
Bin Hammam, presidente da Confederação asiática, é o candidato de oposição ao atual presidente Joseph Blatter na eleição. Além dele e de Jack Warner, vice-presidente da Fifa, Debbie Minguell e Jason Sylvester, dirigentes do futebol caribenho, também serão investigados. Sua defesa deve ser apresentada no dia 27 de maio, e a audiência do comitê de ética acontecerá no dia 29 em Zurique.
   
A denúncia veio de Chuck Blazer, membro do comitê executivo da Fifa e secretário-geral da Concacaf, que alertou no dia 24 de maio Jerôme Walcke, secretário-geral da entidade, sobre "possíveis violações do código de ética" cometidas por estes dirigentes. Blazer citou uma reunião da Confederação do Futebol Caribenho, aparentemente organizada por Warner e Bin Hammam nos dia 10 e 11 de maio para tratar das eleições da Fifa.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias