SELEÇÃO ARGENTINA

Messi diz que Argentina não pode depender apenas dele

O jogador argentino é idolatrado no Barcelona, mas chegou a receber críticas dos argentinos por não desempenhar o mesmo futebol na seleção

Fábio Jardelino
Fábio Jardelino
Publicado em 04/10/2011 às 13:48
Leitura:

Eleito pela Fifa como o melhor jogador do mundo nos últimos dois anos e já comparado aos melhores de todos os tempos, Lionel Messi não quer a seleção argentina dependendo apenas de seu talento. Nesta terça-feira (4), o jogador desembarcou em Buenos Aires para as duas primeiras partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2014 e garantiu que nem mesmo sua capacidade técnica é suficiente para fazê-lo ganhar uma partida "sozinho".

"Nenhum jogador sozinho ganha uma partida, nem na seleção, nem no Barcelona, nem em nenhum lugar. É importante que apareça sempre o jogo de equipe. Falta muito trabalho para a seleção", avaliou o astro do Barcelona e da seleção argentina, que tem apenas 24 anos.

Na sexta-feira (7), a Argentina recebe o Chile na estreia das Eliminatórias. E o Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, deverá estar lotado. De acordo com Messi, será para ver a seleção e não apenas ele próprio. "As pessoas não pagam ingresso para me ver. Querem ver todos. Há muitos bons jogadores", disse o meia-atacante, que também deverá estar em campo com a Argentina no dia 11 de outubro, diante da Venezuela, em Puerto La Cruz.

Messi é idolatrado no Barcelona, mas chegou a receber críticas dos argentinos por não desempenhar o mesmo futebol na seleção. Nas últimas competições, no entanto, isto vem diminuindo. Tanto que o jogador aproveitou nesta terça-feira para agradecer o carinho que tem recebido de seus compatriotas.

"As Eliminatórias, todos sabemos, é muito difícil e acho que, como equipe da casa, temos que vencer todas as partidas. Estou feliz porque cada vez que chego na Argentina mais gente me recepciona e me demonstra mais carinho", declarou Messi.


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias