relatório

Conselho da Europa diz que Uefa deve limitar patrocínios

O relatório cita o caso do Manchester City, de propriedade da família real de Abu Dabi, que também é dona da companhia aérea Etihad, que tem um contrato com o clube "por cerca de 400 milhões de libras"

Davi Barboza
Davi Barboza
Publicado em 07/03/2012 às 13:12
Leitura:

O Conselho da Europa, um organismo que assessora os legisladores europeus, disse que a Uefa deve proibir que clubes como o Manchester City sejam patrocinados pelos seus donos. Um relatório do conselho de governança esportiva da Europa indica que há "transações impróprias" que ajudam a driblar as regras de fair-play financeiro da Uefa, que busca controlar os gastos dos clubes.

O relatório cita o caso do Manchester City, de propriedade da família real de Abu Dabi, que também é dona da companhia aérea Etihad, que tem um contrato com o clube "por cerca de 400 milhões de libras". "A Uefa deveria proibir que os clubes patrocinem a si mesmos ou que utilizem entidades associadas para fazê-lo", disse o Conselho da Europa.

O relatório também menciona o Real Madrid e sugere que os clubes sejam proibidos de receber "auxílio estatal". A publicação observa que o Real Madrid embolsou cerca de 400 milhões de euros com a venda de campos de treinamento para a prefeitura.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias