série a

Ganso quer voltar aos gramados contra o Náutico

Jogador trabalha em segredo para ter condições de estrear na 36ª rodada do Brasileiro, após grave lesão muscular

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 25/10/2012 às 19:57
Leitura:

Todos no São Paulo evitam falar em prazos. Mas o UOL Esporte apurou que o meia Paulo Henrique Ganso trabalha em segredo para ter condições de estrear contra o Náutico, pela rodada 36 do Campeonato Brasileiro, em partida inicialmente marcada para o dia 18 de novembro pela CBF.

A estratégia de não se falar em prazos tem uma explicação clara: evitar uma expectativa na torcida do São Paulo pela sua estreia, por Ganso ser um atleta de seleção brasileira e que custou muito aos cofres do São Paulo (R$ 16,4 milhões).

Ganso foi apresentado no São Paulo no dia 23 de setembro. Na ocasião, os dirigentes acreditavam que ele poderia estrear em quinze dias. O técnico Ney Franco fez uma previsão mais pessimista ao afirmar que contava com ele para o jogo desta quarta-feira contra a LDU de Loja.

Em entrevista recente ao UOL Esporte, o fisioterapeuta do São Paulo, Luis Rosan, deixou em aberta até a possibilidade de Ganso estrear pelo clube somente no ano que vem, se em comum acordo entre todos os setores do São Paulo for decidido isto.

“Claro que estamos trabalhando para ele voltar a atuar nesta temporada. Mas a diretoria, através do doutor João Paulo [de Jesus Lopes, vice de futebol], nos deixou a vontade para que se não houver a possibilidade dele retornar esse ano, não tem problema nenhum. O atleta também está consciente disso”.

Ganso entrou na reta final de tratamento da lesão no músculo reto femural, que já foi cicatrizada. Exames de controle (ultrassonografia), realizados na semana passada, mostraram o fim do problema, o que fez o atleta receber um aumento de carga no trabalho, sempre seguindo de acordo com o protocolo elaborado pelo Reffis.

Leia matéria completa no UOL.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias