violência

Presidente do Náutico não vê problema na existência das organizadas

Paulo Wanderley falou que o objetivo deve ser eliminar os maus elementos infiltrados nas torcida

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 17/02/2013 às 16:01
Foto: JC Imagem
Paulo Wanderley falou que o objetivo deve ser eliminar os maus elementos infiltrados nas torcida - FOTO: Foto: JC Imagem
Leitura:

 

O presidente do Náutico, Paulo Wanderley, disse que o clube não tomará nenhuma decisão isolada contra a Fanáutico, após um grupo que trajava a camisa da torcida organizada ter se envolvido em um confronto com integrantes da Torcida Jovem (Sport) que resultou em um rapaz baleado na cabeça, na noite do último sábado (16), em frente ao Estádio dos Aflitos, na Zona Norte do Recife, minutos antes do jogo Náutico x Central.

"Se for fazer alguma coisa nesse sentido (proibir organizadas), tem que contar com o envolvimento dos três clubes (Náutico, Sport e Santa), federação Pernambucana, Ministério Público e Polícia Militar", comentou.

O mandatário timbu, inclusive, saiu em defesa da existência das torcidas organizadas. "Acho que o que precisa haver é uma conversa grande com vários setores da sociedade sobre esse assunto. O que precisamos é dar um fim as pessoas ruins que estão dentro das organizadas. Precisamos repensar o modelo de segurança que está ai."

Sobre a tragédia ter ocorrido em frente ao estádio do clube, Paulo Wanderley disse que vai colaborar. "O Náutico não tem nada a ver com o que aconteceu e está disposto a ajudar as autoridades a banir esses maus elementos do futebol. Existem pessoas boas e más nas organizadas. Não dá para generalizar."

SÁBADO - Minutos antes do jogo Náutico x Central, nos Aflitos, torcedores com camisa da Jovem que estavam em ônibus de linha passaram em frente ao etádio, na Avenida Rosa e Silva, onde estavam integrantes da Fanáutico. Houve provocações e arremesso de pedras contra o veículo.

Segundo testemunhas, um homem trajando uma camisa preta com o nome apoio sacou uma arma e iniciou disparos. Um dos tiros atingiu a cabeça de Lucas de Freitas Lyra, de 19 anos.

Ele foi encaminhado ao Hospital da Restauração, no Derby, área central do Recife, e passou por uma cirurgia para a retirada da bala. Permanece em observação na UTI do hospital.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias