polêmica

Emerson 'pega leve' com São Paulo, mas quer bater rival

Jogador ironizou o Tricolor logo após a decisão da Recopa

Da Agência Estado
Da Agência Estado
Publicado em 24/07/2013 às 13:46
Leitura:

Emerson ironizou o São Paulo logo após a conquista da Recopa Sul-Americana, no último dia 17, no Pacaembu. "Que dó, que dó", escreveu ele numa rede social. "Foi uma brincadeira que fiz com amigos", afirmou o atacante nesta quarta-feira.

E o atacante foi convocado para uma entrevista coletiva justamente na semana na qual o Corinthians reencontra o São Paulo, domingo, no Pacaembu, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. "Pediram para eu pegar leve hoje", brincou. "Na minha cabeça não imagino o São Paulo ser rebaixado, na Segunda Divisão, ainda vai mudar muita coisa até o final do Campeonato Brasileiro", completou.

Esse foi o lado politicamente correto da entrevista. Depois, quando pediram a ele um palpite sobre o jogo do São Paulo contra o Internacional, nesta quarta-feira à noite, pelo Brasileirão, ele perguntou: "Onde será o jogo?". Quando soube que será no Morumbi, ele cravou que o Internacional ganhará a partida.

"Mas não me sensibilizo nem um pouco com a situação do São Paulo", afirmou o atleta quando perguntado se o Corinthians poderia "pegar leve" no clássico de domingo. "Aqui a gente trabalha com afinco", respondeu.

Emerson reconheceu que a situação do Corinthians no Brasileiro não é confortável e que a equipe precisa voltar a vencer para subir na classificação - o time é só o 13.º colocado, com dez pontos.

O atacante ainda apostou que a o Atlético Mineiro tem chance de conquistar a Libertadores jogando no Mineirão contra o Olimpia, nesta noite de quarta, no Mineirão. Mas não poupou o árbitro Carlos Amarilla, ainda apontado por ele como o grande culpado da eliminação do Corinthians diante do Boca Juniors. "Tínhamos tudo para conquistar o segundo título, fica esse sentimento. Um babaca veio aqui, um idiota e tirou nosso sonho."

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias