Futebol

Poluição de Pequim preocupa na véspera do 'Superclássico' Brasil-Argentina

Cidade chinesa está com vinte vezes mais poluição do que o pré-estabelecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

Da AFP
Da AFP
Publicado em 10/10/2014 às 16:39
Leitura:

Dunga deixou claro que estava incomodado com a poluição de Pequim, que recebe neste sábado o 'Superclássico das Américas' entre Brasil e Argentina. "A poluição está aí e temos que encarar. Vai desgastar mais os jogadores", afirmou o novo técnico da seleção brasileira em entrevista coletiva realizada nesta sexta-feira.

Dunga também criticou o regulamento do 'Superclássico', que apesar de ser um amistoso obriga os treinadores a fazer apenas três mudanças, como se fosse uma partida oficial. "Atrapalha a qualidade do espetáculo. A adaptação é muito difícil, o ideal seria ter mais trocas, o jogo teria outra dinâmica. Isso vai atrapalhar", reclamou.

A região de Pequim está há 48 horas sob 'alerta laranja' em termos de poluição, com concentração de micropartículas chegando a vinte vezes o teto estabelecido pela Organização Mundial da Saúde. A visibilidade se reduziu drasticamente, com uma pesada neblina cinza que encobre até os prédios. Os jogadores de ambas as equipes passaram a maior parte do tempo no hotel e sofreram bastante a cada treino realizado do lado de fora.~

"Custa um pouco respirar. A garganta fica seca, e é bem ruim, mesmo. Não chega a ser como a altitude, mas parece que você está perto de uma fogueira. É bastante complicado", queixou-se Robinho.

O meia Philippe Coutinho chegou até a declarar que em alguns momentos não sabia dizer se era dia ou noite em razão da opacidade do ar. "Está tudo meio diferente, a gente ainda está se acostumando. O ar é meio estranho, às vezes parece que está de madrugada. É muita poeira, lamentou o jogador do Liverpool.

"Acho que a longo prazo você deve sentir mais. A curto a gente não sente muito, mas a gente espera que isso possa mudar, porque a população chinesa não merece viver assim", disparou David Luiz, sempre preocupado com a responsabilidade social dos jogadores. Quatro vezes eleito melhor do mundo, de 2009 a 2012, o craque argentino Lionel Messi precisou deixar o treino mais cedo na quinta-feira.

O técnico dos 'Hermanos', no entanto, descartou que a poluição seja um "fator" relevante para a partida.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias