FUTEBOL

Técnico do Barça vê proibição de contratar como "estímulo" para promessas

Sanção da Fifa impede clube de realizar novas contratações até 2016

Da AFP
Da AFP
Publicado em 03/01/2015 às 18:18
Leitura:

Após o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) confirmar a punição imposta pela Fifa, o técnico do Barcelona, Luis Enrique, resolveu apontar neste sábado (3) um aspecto positivo da punição ao alegar que a proibição de contratar pode ser um "estímulo" para jovens promessas do clube. A sanção foi confirmada na terça-feira(30), impedindo os catalães de buscar novos reforços até janeiro de 2016.

"É óbvio que teríamos preferido outra decisão, mas vamos fazer frente. É uma situação diferente. O nível do elenco é suficiente com os jogadores que temos e temos que levar em conta o fato que se trata de um grande estímulo para jogadores da base", explicou o treinador, em entrevista coletiva realizada na véspera do duelo com a Real Sociedad, válido pela 17ª rodada do Campeonato Espanhol.

Luis Enrique, que comandou o time B do Barça de 2008 e 2011, conhece bem as promessas do clube, e já promoveu para o time principal os atacantes Munir El Haddadi e Sandro Ramirez, ambos com 19 anos. "No time B, temos atletas que me agradam, que podem ser aproveitados sem problemas. O fato de não poder buscar reforços para a próxima temporada abre muito claramente as portas para jovens", insistiu. 

Na terça-feira, o TAS disse em um comunicado que negou o recurso do Barcelona, depois de constatar que o clube "descumpriu as regras sobre proteção de menores e o registro de menores que frequentam as academias de futebol".

Muitas das estrelas da equipe principal saíram das categorias de base do clube, como Lionel Messi, Xavi ou Andrés Iniesta. No fim de abril, o clube conseguiu uma suspensão provisória da pena por parte da Fifa enquanto sua primeira apelação tramitava.

Graças a esta prorrogação, o Barça pôde contratar no verão, o que lhe permitiu renovar sua equipe e se antecipar diante da possível aplicação da pena no futuro, gastando mais de 150 milhões de euros em contratações.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias