Polêmica

Presidente da Fifa insiste que não é corrupto

Dirigente de 79 anos anunciou em 2 de junho que deixaria o cargo, apenas quatro dias depois da reeleição para o quinto mandato,

Da AFP
Da AFP
Publicado em 01/07/2015 às 10:07
Foto: ABBAS MOMANI / AFP
Dirigente de 79 anos anunciou em 2 de junho que deixaria o cargo, apenas quatro dias depois da reeleição para o quinto mandato, - FOTO: Foto: ABBAS MOMANI / AFP
Leitura:

O ainda presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, insistiu que não é corrupto, no momento em que a entidade que comanda o futebol mundial está sendo investigada por supostas irregularidades, em uma entrevista à revista alemã Bunte.

Ao ser questionado sobre a situação, o dirigente de 79 anos respondeu: "Qualquer um que me acuse de corrupto, a primeira coisa que tem que fazer é comprovar". "Ninguém poderá fazer isto porque não sou corrupto", insistiu Blatter.

Blatter, presidente da Fifa desde 1998, anunciou em 2 de junho que deixaria o cargo, apenas quatro dias depois da reeleição para o quinto mandato, mas permanecerá à frente da entidade até novas eleições, que devem acontecer no fim de 2015 ou início de 2016.

A decisão foi uma consequência das duas investigações contra a Fifa, nos Estados Unidos e na Suíça, por corrupção. A justiça americana indiciou 14 integrantes ou ex-integrantes da direção da Fifa e executivos de empresas de marketing esportivo pelo recebimento de milhões de dólares em subornos nas últimas décadas.

Paralelamente, a justiça suíça investiga os processos de escolha da Rússia e do Catar como sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. Alguns dias depois do anúncio de sua saída, Blatter criou uma confusão ao afirmar que apenas havia colocado o cargo à disposição da assembleia da Fifa, na qual conta com o apoio das federações africanas e asiáticas.

Na entrevista, Blatter afirma que entende as críticas, mas não as acusações infundadas. "Aceito a crítica construtiva, mas alguém que diz que Blatter é corrupto porque a Fifa é corrupta, não posso fazer mais que negar". "Aquele que diz algo assim, sem provas, deveria ir para a prisão", completou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias