violência

Polícia Civil identifica mais 21 torcedores da Inferno Coral

Suspeitos foram intimados a prestar depoimento na sexta-feira. Federação Pernambucana de Futebol também está ajudando investigação

Do JC Online
Do JC Online
Publicado em 10/09/2015 às 20:01
JC Imagem
Suspeitos foram intimados a prestar depoimento na sexta-feira. Federação Pernambucana de Futebol também está ajudando investigação - FOTO: JC Imagem
Leitura:

Dois dias após a confusão na frente da sede do Náutico, na Zona Norte do Recife, a Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão à Intolerância Esportiva, revelou que mais 21 torcedores foram localizados e intimados a prestar depoimento a partir da sexta-feira. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Paulo Morais, os suspeitos representam a Inferno Coral e também devem responder pelos crimes de formação de quadrilha, danos aos patrimônios privado e público e rixa. 

O delegado explicou que o processo para identificar os suspeitos é demorado, pois a equipe precisa assistir às imagens várias vezes até conseguir localizar as pessoas. “Estamos trabalhando para chegar ao número máximo de suspeitos. Já ouvimos 10 membros da Terror Bicolor (organizada do Paysandu) ontem (na quarta) e hoje vamos começar a ouvir os torcedores da Inferno”, argumentou Paulo Morais. 

A Federação Pernambucana de Futebol (FPF) também firmou parceria com o Disque-Denúncia para agilizar as investigações. A entidade está oferecendo R$ 1 mil para quem identificar novos suspeitos do caso. Essa não é a primeira vez que a FPF entra no circuito para ajudar nos casos de violência no futebol. No ano passado, a entidade ofereceu recompensa no caso do vaso sanitário no Arruda. “Na ocasião, tivemos o resultado mais rápido da história do serviço em Pernambuco. Apenas 24 horas após o oferecimento. Esperamos, mais uma vez, contar com o apoio da população pernambucana”, explicou a superintendente do Disque-Denúncia Pernambuco, Carmela Galindo.

Lembrando a que Secretaria de Defesa Social (SDS) continua recebendo ajuda da população sobre possíveis suspeitos. Quem tiver mais informações deve entrar em contato pelo Disque-Denúncia (3421.9595), pelo WhatsApp do Torcedor (9.8606.9880) ou pela Ouvidoria da Polícia Civil (0800.081.5001). O serviço garante que a identidade dos colaboradores será mantida em sigilo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias