CURIOSIDADES

Times da Série A2 do Campeonato Pernambucano enfrentam dificuldades

Equipes do interior sofrem com a falta de patrocínio e estrutura

Matheus Cunha
Matheus Cunha
Publicado em 10/09/2016 às 9:33
Foto: Alexandro Auler/Acervo JC Imagem
Equipes do interior sofrem com a falta de patrocínio e estrutura - FOTO: Foto: Alexandro Auler/Acervo JC Imagem
Leitura:

A Série A2 do Campeonato Pernambucano começou no final de semana passado e logo de cara trouxe algumas histórias curiosas para contar. Teve time com goleiro sendo expulso e zagueiro indo pro gol, falta de ambulância no estádio, clube com material esportivo “feito na rua” e até padaria doando pães para os jogadores. Mas, segundo parte dos clubes que participam do campeonato, o grande problema continua sendo um só: a falta de dinheiro. 

Mesmo com todos os problemas, a rodada inaugural da temporada 2016 teve a maior média de gols dos últimos seis anos, com 3,25 gols por partida. O número só não é superior ao apresentado na primeira rodada de 2010, quando os 12 times que jogaram obtiveram uma média de 3,8 gols por jogo. 

No Cabo de Santo Agostinho, o Ferroviário estreou contra o Barreiros com apenas quatro jogadores no banco de reservas, todos de linha. E quis o destino que o goleiro do time cabense, Felipe, fosse expulso aos 42 minutos do primeiro tempo após matar com falta dura uma jogada do time visitante. Como não havia nenhum reserva para a posição no banco, coube ao zagueiro Luiz ir para o gol. O defensor até se saiu bem em baixo das traves, terminando a partida sem tomar nenhum gol, diferente do titular da posição que sofreu todos os três gols da derrota ferroviária por 3x0.

Outro fato curioso no Cabo foi a demora para ponta pé inicial. As equipes só puderam começar a partida após 50 minutos de atraso por conta da falta de ambulância no estádio Gileno de Carli. 

Se os gols vêm sendo o destaque positivo desse início de competição, as dificuldades financeiras e estruturais dos clubes são o que chamam a atenção pelo lado negativo. Segundo Flávio Hermínio, diretor do Centro Limoeirense, o clube do Agreste pernambucano vem recebendo doações de pães e de outros tipos de alimentos para que os jogadores tenham condições de competir. 

“As padarias daqui (Limoeiro) vêm doando pão para os jogadores, o filho do prefeito de Passira (cidade vizinha) vem doando também outros tipos de comida. A gente fez uma rifa sorteando uma moto para poder levantar dinheiro para competir. Nós somos guerreiros em estar jogando essa Série A2”, afirmou o mandatário. 

Já o Barreiros, time da Zona da Mata, não possui nem fornecedor de material esportivo. De acordo com o presidente do clube, Daniel Lages, “o fornecedor de camisas do time veio do meio da rua”, já que ele próprio procurou pessoas pela cidade para poder produzirem o uniforme. Daniel ainda descreve a participação do time na competição como “a pior loucura que fez na vida”, por conta da falta de dinheiro e o alto valor cobrado pela Federação Pernambucana de Futebol (FPF) para inscrever os atletas no campeonato, o que agrava ainda mais a situação do clube.

Os times ainda terão outro empecilho durante a temporada. Quando forem jogar contra o Afogados no Sertão pernambucano, os jogadores terão a alta temperatura das 15h na cidade sertaneja como obstáculo. Por conta da falta de refletores no estádio Vianão (local aonde o Afogados manda os seus jogos), as partidas da equipe acontecem sempre à tarde. Até existe um projeto para a instalação da iluminação no estádio, mas por se tratar de um espaço público e por conta do momento eleitoral que vive a cidade, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) impede a instalação do equipamento.

O campeonato conta também com times tradicionais do Estado, como a Cabense. O time do Cabo de Santo Agostinho disputou a Série A1 pela última vez em 2011 e é um dos favoritos para subir nesse ano. 

PRÓXIMOS JOGOS

A segunda rodada da A2 começa neste sábado com dois jogos. O Íbis vai até Afogados da Ingazeira enfrentar o Afogados no Vianão. Já o Flamengo de Arcoverde recebe o Ferroviário do Cabo no Aureo Bradley. No domingo será a vez de Cabense e Centro Limoirense se enfrentarem no Gileno de Carli. Na Zona da Mata do Estado, o Barreiros recebe o Timbaúba no Luiz de Brito. Todas as partidas começam às 15h. 


O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias