POLÊMICA

Infantino manda recado a Trump sobre acesso aos EUA em Copa de 2026

Presidente da Fifa disse que EUA devem garantir entrada de todos em possível copa no país

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 09/03/2017 às 14:22
AFP PHOTO / RONALDO SCHEMIDT
Presidente da Fifa disse que EUA devem garantir entrada de todos em possível copa no país - FOTO: AFP PHOTO / RONALDO SCHEMIDT
Leitura:

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, lembrou aos Estados Unidos que precisará assegurar o acesso total de jogadores, dirigentes e torcedores das seleções de todos os países ao solo norte-americano se tem intenção de apresentar uma candidatura para organizar a Copa do Mundo de 2026.

O novo presidente norte-americano, Donald Trump, aprovou um decreto que nega vistos de entrada no país a cidadãos de seis nações de maioria muçulmana e cancelou temporariamente o programa de abrigo de refugiados dos Estados Unidos. Isso afeta hoje potenciais visitantes e imigrantes de Irã, Síria, Somália, Sudão, Iêmen e Líbia.

A Fifa prepara neste momento as regras a serem obedecidas por países que pretendem se candidatar a abrigar o Mundial de 2026, cuja sede será eleita em 2020. E, ao falar sobre o decreto de Trump, Infantino afirmou nesta quinta-feira, durante entrevista coletiva em Londres, que "qualquer time, incluindo seus torcedores e dirigentes de cada seleção, que se classificarem para a Copa do Mundo têm de ter acesso ao país, do contrário não haverá uma Copa do Mundo. Isso é óbvio".

O dirigente enfatizou que os "requisitos serão claros" e que "cada país pode tomar suas decisões, se eles quiserem se candidatar ou não, baseado nos requisitos" que serão exigidos pela Fifa. "Não tem nada a ver com os Estados Unidos ou não, isso é um critério esportivo geral", lembrou Infantino.

O mandatário suíço, porém, evitou criticar a política empregada por Trump em seu governo, cujas decisões estão impactando o mundo de forma global e representam uma grande mudança em relação ao que vinha sendo feito na gestão de Barack Obama, de popularidade e prestígio bem maiores do que o atual presidente no cenário internacional.

"O senhor Trump é o presidente dos Estados Unidos da América e, como tal, tenho enorme respeito pelo que ele faz", afirmou Infantino nesta quinta-feira, para depois completar em tom politicamente cordial: "Ele está no comando, junto com seu governo, para tomar as decisões que são melhores para o seu país É por isso que ele foi eleito".

SUCESSO

Os Estados Unidos organizaram com sucesso a Copa do Mundo de 1994, vencida pelo Brasil, e graças aos seus enormes estádios é ate hoje o Mundial com maior público total presente às arenas em todos os tempos da competição, cuja primeira edição foi em 1930. Após o Mundial organizado pelo Brasil em 2014, a Copa de 2018 será na Rússia e a de 2022 no Catar.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias