União

Craque muçulmano do Liverpool ajuda a combater preconceito religioso na Inglaterra

Salah já fez 23 gols pelo Liverpool na temporada e é vice-artilheiro do Campeonato Inglês

Vinícius Barros
Vinícius Barros
Publicado em 26/02/2018 às 13:26
Foto: Paul Ellis/AFP
Salah já fez 23 gols pelo Liverpool na temporada e é vice-artilheiro do Campeonato Inglês - FOTO: Foto: Paul Ellis/AFP
Leitura:

Destaque da equipe do Liverpool na temporada, com 23 gols e vice-artilharia do Campeonato Inglês, o atacante Mohamed Salah é a esperança do Egito para Copa do Mundo na Rússia.

Mas, no país onde atua, simboliza outro tipo de esperança: a de uma sociedade menos preconceituosa. Querido pela torcida dos Reds, o muçulmano de 25 anos foi o tema de uma música entoada nas vitórias por 5x0 contra o Porto pela Champions League e West Ham por 4x1 pela Premier League.

O canto é uma paródia do hit "Good Enough", de 1996, do londrino Dodgy. Na letra, a crença do egípcio é exaltada.

"Se ele é bom o bastante para você, ele é bom o bastante para mim. Se ele fizer mais alguns (gols), então eu serei muçulmano também", diz a canção. Em outro trecho, a música completa "ele está sentado numa mesquita, é lá que eu quero estar".

Assim que soube da homenagem, Salah comentou no Twitter com três emojis apaixonados.

Momento crítico

 A ação da torcida surge depois de ataques terroristas ganharem os holofotes no país britânico. No último mês de setembro, o Estado Isâmico declarou ser autor de um atentado no metrô londrino que teve 29 vítimas.

Já em julho do ano passado, um homem atropelou 11 fiéis próximos a uma mesquita na capital inglesa. "Ataques terroristas espalharam medo sobre a fé muçulmana, mas 'Mo'(apelido de Mohamed Salah) mostrou que não somos o bicho-papão", destacou Mumin Khan, CEO de um coletivo que visa recuperar a primeira mesquita construída em Liverpool.

O respeito ao islamismo é lembrado a cada gol feito pelo atacante, que costuma se agachar e rezar nas comemorações. O gesto é feito em direção a Meca, cidade na Arábia Saudita vista como sagrada para os muçulmanos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias