CONFIANÇA

Luiz Lacerda acredita em duas vitórias do Central contra o Náutico

Empresário, de 93 anos, está confiante na conquista do título inédito da Patativa

Filipe Farias
Filipe Farias
FILIPE FARIAS
Publicado em 01/04/2018 às 9:24
Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Empresário, de 93 anos, está confiante na conquista do título inédito da Patativa - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/ JC Imagem
Leitura:

Uma lenda viva do Central. O empresário Luiz José de Lacerda, de 93 anos, que dá nome ao estádio da Patativa, jogou e presidiu o clube alvinegro caruaruense. E, pode, ainda em vida, ver o seu time de coração conquistar o título inédito do Campeonato Pernambucano.

O torcedor ilustre da Patativa está confiante em dois resultados positivos diante do Timbu. “É de centralista: eu quero ganhar do Náutico aqui (Caruaru) e lá (Arena de Pernambuco). Já vencemos deles no Lacerdão (3x0, na segunda rodada da 1ª fase do Estadual) e, agora, quero vencer na casa deles também. Respeito o Náutico, até porque no passado, quando o Central saía de uma competição, eu torcia pelo Náutico. Tinha uma estima enorme pelo alvirrubro, mas agora não tem jeito. Quero duas vitórias do Central”, disse senhor Luiz, aos risos.

Bastante lúcido em suas avaliações, Lacerda não esqueceu de enaltecer o bom trabalho desenvolvido pelo comandante centralino. “Mauro (Fernandes) é um bom treinador. Ele fez milagre aqui. Há pouco tempo, o Central estava lá em baixo. Ninguém sabia quem era o Central. Agora, o nosso time está fazendo até raiva para os rivais da capital”, declarou.

HISTÓRIA

Natural de Limoeiro, a paixão do empresário Luiz Lacerda pelo Central foi à primeira vista. “Eu frequento esse estádio desde que cheguei aqui em Caruaru, ainda moço. De cara, gostei do Central e comecei a ajudar o clube. Mais tarde, quando dirigente, ajudei para que a ampliação do estádio saísse do papel. Isso no final dos anos 1970. Tive a ajuda do então secretário do Governo do Estado, que era engenheiro. Quando as obras terminaram, resolveram colocar o meu nome no estádio”, disse.

 

Últimas notícias