França

Com queixas de brasileiros ao DM, PSG busca profissionais de confiança

Atletas brasileiros do clube francês se machucaram recentemente

Thiago Wagner Thiago Wagner
Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 23/05/2018 às 19:57
AFP
Atletas brasileiros do clube francês se machucaram recentemente - FOTO: AFP
Leitura:

O Paris Saint-German é o atual lar de cinco craques brasileiros e a influência deles no vestiário é grande. Neymar, Thiago Silva, Marquinhos, Daniel Alves e Thiago Motta têm papel de liderança perante o elenco e prestígio com a diretoria. E foi depois de ouvir algumas queixas que a decisão de mudar o departamento médico para a próxima temporada foi tomada.

As mudanças não traduzem em demissões. Na verdade, o grupo brasileiro pede a contratação de profissionais de sua confiança. Vale lembrar que o preparador físico, Ricardo Rosa, e o fisioterapeuta, Rafael Martini, já fazem parte da equipe por uma exigência do próprio Neymar, que realizou cirurgia no pé direito no Brasil e passou todo o período fisioterápico no Rio de Janeiro.

Em março o jornal francês "Le Parisien" já havia relatado sobre a divergência entre o departamento médico e os atletas brasileiros. Após lesão de Neymar, o veículo destacou que: "as divisões entre a unidade de esporte e a unidade médica de um clube são frequentes, mas persistem no PSG e parecem cada vez mais violentas".

Os atletas admitem recentes melhorias estruturais no departamento médico, mas ainda alegam falta de confiança para realizar tratamentos no clube. No ano passado, o volante Thiago Motta adotou um caminho parecido com o do craque da canarinha. Lesionado no joelho direito, Motta não se operou no PSG e preferiu realizar o tratamento em uma clínica nos Estados Unidos.

O equipe francesa também ouviu recentemente queixas de Marquinhos. O zagueiro lesionou a coxa na partida de ida contra o Real Madrid, em fevereiro, mas foi liberado pela equipe médica para atuar na partida da volta, 15 dias depois. Ao se apresentar à seleção brasileira, Marquinhos foi reavaliado e recebeu a confirmação de que a lesão não havia sido devidamente tratada, o impedindo de participar dos amistosos contra Rússia e Alemanha.

Com Thiago Silva, a insatisfação se deu após a saída de um profissional que lhe acompanhava desde o Fluminense. O fisioterapeuta pessoal, Marcelo Costa tinha sido contratado pelo clube, mas foi demitido no fim do ano passado.

Já a recente lesão no joelho de Daniel Alves foi o que reaproximou o departamento médico do PSG aos brasileiros. O lateral ainda cogitou realizar cirurgia e tratamento em Barcelona, mas concordou em realizar toda a recuperação com os profissionais da casa

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias