futebol internacional

Áudios vazados apontam discussão entre Sampaoli e Messi na Argentina

Em conteúdo publicado por jornalista argentino, Messi e Mascherano lideram queixas por mais poder de decisão aos atletas

Diego Borges
Diego Borges
Publicado em 20/07/2018 às 9:57
Foto: Divulgação/FIFA
Em conteúdo publicado por jornalista argentino, Messi e Mascherano lideram queixas por mais poder de decisão aos atletas - FOTO: Foto: Divulgação/FIFA
Leitura:

Aos poucos, a seleção argentina tenta se reestruturar e superar os traumas deixados pelos problemas de relacionamento entre atletas e comissão técnica. A principal decisão da Associação do Futebol Argentino depois da Copa do Mundo foi demitir o técnico Jorge Sampaoli, que parecia não ter um clima bom com o grupo durante o Mundial da Rússia. É o que aponta áudios vazados do vestiário argentino em que o treinador discute duramente com os atletas, incluindo Messi.

Em seu livro digital 'The world is stories' o jornalista argentino Ariel Senosiain, da TyC Sports e colunista do Olé, publicou um áudio vazado da conversa entre Sampaoli e os atletas, liderados por Messi e Mascherano, após a derrota por 3 a 0 para a Croácia.

Confira a descrição

Segundo Senosian, foram cerca de 15 minutos de conversa, iniciada pelos atletas no vestiário, queixando-se da insegurança transmitida, do treinamento, das mudanças, das acusações e dos nervosismo do treinador. "Não entendemos o que você diz, não confiamos mais em você, queremos ter uma opinião", reclamaram os jogadores.

Surpreso, Sampaoli questionou: "Opinião sobre o quê?"

"Em tudo", responderam.

"E você vai montar o time, dirigir o treinamento, tudo?", retrucou em direção a Messi, que rebateu. "Você me perguntou dez vezes quais jogadores eu queria que você colocasse e quais não, e eu nunca lhe dei um nome. Diga-me à frente de todos se eu já dei algum nome."

Além dos atletas e da equipe técnica, o presidente da AFA, Claudio Tapia, também estava presente no momento e limitou-se a orientar Sampaoli. "Você tem que ceder", apontou, antes de conte o auxiliar-técnico Sebastián Beccacece, que pensou em renunciar ao cargo durante a discussão.

"Diga-lhe que, por favor, não saia, é o que os jogadores ouvem."

Após o Mundial, Beccacece assumiu o comando técnico do clube argentino Defensa y Justicia. Sgundo Senosiain, ele teria avisado a Sampaoli que um treinador 'não podia bancar tudo'.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias