ENTREVISTA

'O Sport se mostrou muito competitivo contra o Inter', elogia técnico do Atlético-PR

Reportagem do Jornal do Commercio entrevistou o promissor Tiago Nunes, de 38 anos, que assumiu o comando do Furacão após a saída de Fernando Diniz

Filipe Farias
Filipe Farias
Publicado em 12/10/2018 às 11:03
 Foto: Miguel Locatelli/ Atlético-PR
Reportagem do Jornal do Commercio entrevistou o promissor Tiago Nunes, de 38 anos, que assumiu o comando do Furacão após a saída de Fernando Diniz - FOTO: Foto: Miguel Locatelli/ Atlético-PR
Leitura:

Responsável pela arrancada do Atlético-PR no Brasileirão, o técnico Tiago Nunes conversou com o repórter Filipe Farias e revelou alguns segredos para ter alcançado o sucesso no comando do Furacão. O treinador de 38 anos também analisou o time do Sport e acredita que os comandados de Milton Mendes vão oferecer dificuldade domingo.

Confira os principais trechos da entrevista:

CONVITE

Comandei o Veranópolis no Gauchão de 2017 quando recebi o convite de Paulo Autuori para treinar os aspirantes do Atlético-PR. O que me motivou a aceitar foi por existir o projeto para a formação de treinadores dentro do clube. Apesar de não terem estabelecido prazo (para assumir o profissional), existia essa expectativa futura de comandar o time principal. Claro que o título Estadual deste ano, mesmo atuando com o sub-23, me credenciou ao cargo, pelo reconhecimento da torcida, da imprensa e da diretoria. Com os maus resultados de Fernando Diniz, assumir o cargo foi natural.

ESTILO

São poucos os clubes do Brasil com um trabalho autoral. Cruzeiro e talvez o Grêmio, que está há muito tempo sob o comando de Renato Gaúcho. Os demais times são mesclas de outros trabalhos, que acabam herdando de técnicos anteriores. Como já estava dentro do clube, tinha uma visão privilegiada. Procurei manter o que tinha de bom do trabalho do Fernando (Diniz), saída de bola, jogo de aproximação, mas agregando com uma organização defensiva mais sólida e buscando um jogo mais vertical, que nos proporcionasse mais finalizações em gol.

ARRANCADA

Primeiro precisava retomar a confiança e isso só se consegue com resultado. Como eu assumi faltando ainda dez dias para o retorno do Brasileiro após a Copa, busquei mudar o sistema tático, dei oportunidade para alguns atletas que não estavam jogando e defini bem os jogadores que iriam competir em cada posição para aumentar a competitividade interna. Conseguimos achar uma equipe e os resultados vieram.

SPORT

Vi o jogo contra o Internacional, o time se mostrou muito competitivo. Com uma mudança de postura em campo, além de contar com jogadores de alto poder de definição no ataque: Michel (Bastos), Marlone, além de Gabriel e Mateus (Gonçalves) pelos lados. São atletas que podem fazer o gol da vitória a qualquer momento. O Sport também mostrou que está defendendo bem. Vamos ter dificuldade para infiltrar na zaga deles.

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias