América do Sul

Conmebol deve definir data da final da Libertadores nesta terça

Decisão entre River e Boca já foi adiada duas vezes

Thiago Wagner Thiago Wagner
Thiago Wagner
Thiago Wagner
Publicado em 27/11/2018 às 7:01
AFP
Decisão entre River e Boca já foi adiada duas vezes - FOTO: AFP
Leitura:

Depois de muita confusão no fim de semana, com mais de um adiamento de jogo, a Conmebol deve definir nesta terça-feira a data da segunda final da Libertadores deste ano, entre River Plate e Boca Juniors. A partida inicialmente estava marcada para sábado, no Monumental de Núñez, chegou a ser mudada para domingo e agora não tem dia. Tudo por conta de brigas de torcida e agressões ao ônibus do Boca, na chegada ao estádio.

No encontro marcado para a manhã desta terça, às 9h (horário do Recife), estarão presentes o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, mais os dirigentes dos dois clubes. A tendência é que o estádio do River seja mantido como local do duelo, apesar das confusões. Quanto ao dia, o mais provável é que a final ocorra no dia 8 de dezembro, um sábado, para dar tempo ao Boca de recuperar os jogadores. O volante e capitão Pablo Pérez apresentou ferimentos no olho por conta de estilhaços de vidro do ônibus.

ACUSAÇÕES

Em clima tenso, a semana começou com troca de acusações nos dois lados. O presidente do River, Rodolfo D'Onofrio, eximiu o clube de culpa pelo ataque e questionou o fato de o Boca não ter aceitado entrar em campo. “Firmamos um acordo e nos surpreendemos com o pedido do Boca. O River tem palavra. Vamos para a reunião para uma nova data e para jogarmos em nosso estádio, com nossa torcida”, afirmou.

Do lado do Boca, além do pedido de punição ao River, há o receio de jogar no Monumental. “Não vou jogar em um estádio onde posso morrer”, disparou Pérez.

Até o presidente argentino, Mauricio Macri, manifestou-se. Em pronunciamento feito ontem, disse que o que aconteceu envergonha todos os argentinos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias