copa do mundo feminina

Rapinoe é premiada com Bola e Chuteira de Ouro do Mundial Feminino

Megan Rapinoem é eleita a melhor jogadora da Copa do Mundo de futebol feminina. Ela levou a chuteira e a bola de ouro

Gabriela Máxima
Gabriela Máxima
Publicado em 07/07/2019 às 16:11
Notícia
Foto: AFP
FOTO: Foto: AFP
Leitura:

A atacante dos Estados Unidos Megan Rapinoe foi eleita a melhor jogadora da Copa do Mundo feminina de futebol. Além da Bola de Ouro, a norte-americana também faturou o troféu Chuteira de Ouro, por ter sido a artilheira da competição, com seis gols, um deles marcado na final contra o Holanda, derrotada por 2x0, ontem, em Lyon, na França.

Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP
Foto: AFP
Americanas superaram a Holanda na grande decisão - Foto: AFP

Alex Morgan, dos Estados Unidos, e Ellen White, da Inglaterra, também marcaram seis gols cada ao longo do torneio internacional. Megan, por sua vez, afirmou que afirmou que está muito feliz por ter sido considerada o grande destaque da Copa. “Não sei se consigo descrever a sensação. É incrível. Todo o grupo trabalhou para chegar até aqui merece esse prêmio. Estamos sempre muito motivadas para vencer”, afirmou Rapinoe após receber as honrarias da Fifa.

OUTRAS JOGADORAS

A Bola de Prata, para a segunda melhor jogadora, ficou com Lucy Bronze, da Inglaterra. Para o terceiro lugar nesta premiação foi eleita a também norte-americana Rose Lavelle, autora do segundo gol da vitória sobre a Holanda, ontem.

Nas demais premiações entregues pela Fifa, a França, país-sede do Mundial, ficou com o Fair Play de equipe mais disciplinada. Já Giulia Gwinn, da Alemanha, aos 20 anos, foi eleita a revelação do torneio.

A Luva de Ouro, para a melhor goleira, ficou com a holandesa Sari Van Veenendaal, que na final deste domingo fez grandes defesas e evitou uma goleada da seleção norte-americana.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias