opinião

Carlyle Paes Barreto: Caso Taison evidencia urgência em um basta definitivo ao racismo no futebol

Taison e Dentinho sofreram mais uma com o preconceito na Ucrânia. Choraram. Pela agressão. E por saber que é costumeira. E não apenas no Leste Europeu

Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 11/11/2019 às 9:17
Artigo
Foto: Reprodução/Instagram
Taison e Dentinho sofreram mais uma com o preconceito na Ucrânia. Choraram. Pela agressão. E por saber que é costumeira. E não apenas no Leste Europeu - FOTO: Foto: Reprodução/Instagram
Leitura:

Carlyle Paes Barreto, colunista do Planeta Bola*

Ao longo dos tempos, o futebol vem diminuindo a quantidade de invasão de campo, de objetos atirados da arquibancada e até de jogadas mais violentas. Por campanhas educativas e até por punição mais dura. Só não consegue diminuir o abuso de jogadores reclamando com arbitragem e os insultos de torcedores com quem está suando lá no gramado. Dentre eles, o abominável racismo.

Os brasileiros Taison e Dentinho sofreram mais uma com o preconceito na Ucrânia. Choraram. Pela agressão. E por saber que é costumeira. E não apenas no Leste Europeu.

Desta vez foram os dois craques do Shakhtar. Mas africanos, asiáticos, sul-americanos já foram agredidos. Por palavras, gestos, cânticos, olhares. Na Ucrânia, na Rússia. Na Itália. E até em seus países. Porque é algo generalizado. E não combatido como se deveria.

Semanas atrás foi durante o jogo Bulgária x Inglaterra. Com os britânicos ameaçando deixar o campo. E deveriam.

Neste domingo, no entanto, não ficou restrito ao oriente. Infelizmente. Um segurança no Mineirão ouviu calado xingamento racista. Ódio puro que quem é Ignorante por se achar superior. Assim como sofreu o garoto Martins, do sub-20 do Sport, chamado de macaco por um torcedor do Barreiros.

Em comum à falta de respeito, de educação, está a impunidade. Nenhum detido, ninguém ainda identificado. Nenhuma ação maior por parte de qualquer entidade. Lei existe para coibir estas aberrações. Falta apenas vontade. Para não ficar apenas em campanhas publicitárias.

Carlyle Paes Barreto é colunista do Jornal do Commercio*

Jogador do sub-20 do Sport denuncia ofensas racistas

O jogador da categoria sub-20 do Sport, Rafael Luiz Santos da Costa, de 17 anos, denunciou nas redes sociais nesse domingo (10) que sofreu injúria racial durante partida pelo Campeonato Estadual no último sábado (9), contra o Barreiros Futebol Clube. O time rubro-negro venceu a partida disputada no Estádio Municipal Luiz Brito Bezerra De Melo por 3x0.

O agressor estava na torcida, e não foi identificado por autoridades, também não tramita um processo de forma oficial sobre o caso. 

Em publicação em sua rede social, o carioca e lateral-direito do Sport admite que nunca imaginou que o caso racista aconteceria com ele, e que acabou se desligando da partida após o acontecimento. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias