Série A

Náutico segura bom empate com Santos na Vila

Timbu ficou no 0x0 com os santistas e segue firme na classificação

Hildo Neto
Hildo Neto
Publicado em 25/10/2012 às 21:57
Foto: site oficial do Santos
Timbu ficou no 0x0 com os santistas e segue firme na classificação - FOTO: Foto: site oficial do Santos
Leitura:

Finalmente, após seis derrotas seguidas fora de casa, o Náutico conseguiu pontuar. O Timbu parou Neymar e arrancou o empate, por 0x0, na Vila Belmiro ontem. Apesar de ter levado pressão no segundo tempo, os alvirrubros poderiam ter saído de campo com a vitória, já que Kieza perdeu um pênalti ainda na primeira etapa. Com o ponto ganho, o primeiro longe dos Aflitos neste returno, o Náutico chegou aos 42, mas foi ultrapassado pela Ponte Preta e caiu para o 13º lugar. O Peixe é o 11°, com 43.

O Timbu agora terá dois jogos seguidos em casa, contra Internacional e Flamengo. Chance para se consolidar de vez na Série A e ficar mais próximo de uma vaga na Copa Sul-Americana. 

O primeiro tempo do Náutico foi quase perfeito. O time marcou forte, tocou a bola e não foi pressionado. O cerco a Neymar deu certo e, apesar de ter recebido 26 bolas, ele não ameaçou. Até os 20 minutos, os donos da casa fizeram um jogo morno e pararam no ferrolho alvirrubro. O único chute foi do craque do Peixe, que Gideão defendeu fácil. 

A partir dos 25, o Náutico começou a se soltar mais e teve duas boas chances em cobranças de falta na frente da área, mas Martinez e Souza desperdiçaram. Aos 32 minutos, Martinez roubou bola de Neymar, avançou e deu excelente passe para Rogério. Ele entrou na área e foi derrubado por Gérson Magrão. Kieza cobrou no canto esquerdo, mas a bola bateu na trave e saiu. 

No segundo tempo, o Timbu continuou fechado, mas abriu mão do ataque e não incomodou o goleiro Rafael. Já o Santos ficou mais em cima do Náutico. Neymar permaneceu como o jogador mais perigoso. Aos 12, ele teve um instante de sossego e chutou livre de marcação para fora.

A melhor chance no segundo tempo foi do Santos. Aos 21, Galhardo cruzou da direita, André ajeitou de cabeça, e Bernardo cabeceou para grande defesa de Gideão. No rebote, o próprio Bernardo bateu forte, e o camisa um salvou de novo. Aos 38, o Peixe chegou com perigo novamente, mas o chute cruzado de Bruno Rodrigo foi para fora.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias