Aflitos

Rogério volta ao Náutico e se diz arrependido

Jogador afirmou que foi iludido por um empresário alemão. Atleta recebeu reajuste salarial

João de Andrade Neto
João de Andrade Neto
Publicado em 17/02/2013 às 12:23
João de Andrade Neto/Especial para o JC
Jogador afirmou que foi iludido por um empresário alemão. Atleta recebeu reajuste salarial - FOTO: João de Andrade Neto/Especial para o JC
Leitura:

Após nove dias sem aparecer nos Aflitos, o atacante Rogério retornou ao Náutico neste domingo (17). Em entrevista coletiva ao lado do presidente Paulo Wanderley, o jogador afirmou estar arrependido de ter deixado o clube e entrado na Justiça do Trabalho para conseguir a sua liberação. 

Rogério disse ter sido iludido por um empresário alemão conhecido apenas como Hector, que prometeu levá-lo para o Lokomotiv Moscou. 

"Foi tudo uma ilusão. Terminei acreditando em gente que não deveria acreditar. Infelizmente estou errado, assumo meu erro. Peço desculpa à torcida, aos dirigentes e ao presidente que sempre esteve comigo durante a minha recuperação do joelho. Graças a Deus estou tendo uma outra oportunidade e vou agarrar com unhas e dentes", afirmou Rogério.

"Sei que terei uma pressão por parte da torcida já que esse assunto gerou muita polêmica. Agora é entrar em campo e fazer o melhor para ter de novo o apoio da torcida", completou o atacante.

Por sua vez, o presidente Paulo Wanderley confirmou que Rogério recebeu um aumento salarial após a confusão. No entanto, segundo o cartola, esse reajuste ficou "bem abaixo do que o jogador pretendia". 

"Tivemos uma conversa e ele terá um aumento, mas não o que ele estava reinvindicando. Esse pequeno reajuste já estava previsto. Não foi por conta dessa situação até porque não iríamos premiar o que não merece ser premiado. Outros atletas também tiveram esse reajuste", explicou o mandatário timbu.

Rogério volta a treinar com o grupo do Náutico amanhã.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias